Agradecer sempre! Mesmo quando a gente está chateado

Agradecer sempre! Mesmo quando a gente está chateado

Este aqui é um dos posts que me permito de vez em quando, daqueles que são quase um desabafo, que não posso fazer sempre, já que preciso continuar a informar, ensinar, aprender e compartilhar. Aliás, para quem acredita que o meu “ensinar” é um ponto de arrogância, agradeço a opinião, mas para mim o jornalismo, que me levou à criação do blog, é um exercício de aprendizado, e no dia em que eu achar que sei tudo, vou acabar.

Vou começar agradecendo meu amigo de milhões de anos, Paulo Gaefke, ele mesmo blogueiro (vejam meuanjo.com.br e comprovem). Ele é milhões de vezes melhor que eu e nunca se negou a me ajudar ou me ensinar. Porque estou agradecendo a ele? Ele merece e só. Mas, mais que tudo, assim como eu, ele não acredita em coisas “tiradas do chapéu e apresentadas como verdades”. Ele pesquisa, aprende, procura quem sabe sobre o assunto antes de escrever, mas principalmente, sempre me perdoa quando eu saio do prumo. Por isso é bem sucedido!

Porque estou agradecendo a esse amigo? Primeiro porque ele sabe que escrever e manter um blog não é para amadores. Requer sangue suor e lágrimas, e também porque em uma entrevista que dei recentemente a uma amiga, Silvana Barbosa, que criou um canal de educação multiplataforma no Youtube (ALOCSE, para quem não sabe é escola ao contrário), falando sobre as dificuldades em ser jornalista neste Brasil cada dia mais besta. Aliás, obrigada Silvana pela oportunidade.

Quero dizer que deixei de mencionar que meu blog não existiria sem o Gaefke. E ele continua apoiando, mesmo quando eu me canso de tudo.

Vou aproveitar e agradecer a outro Paulo, o Cunha, de outro canal, o Outra Visão, lá de Minas, que também é um seguidor e para quem também dei entrevista. Mas não pensem que sou uma pessoa famosa, eu seria se viesse algum convite de um total desconhecido, e não de amigos bondosos que me apoiam. E se eu fizer uma lista desses não teria mais fim esse post.

Vou terminar tentando dar um recado sutil. A internet nos deu uma democracia de informação incrível. Podemos criar canais para informar, compartilhar conhecimento, aprender e tudo o mais. Infelizmente também temos na internet (e não só nas redes sociais), muita informação banal e muitos horrores que não deveriam interessar, mas, assim como aqueles acidentes feios na beira da estrada, atraem por seus títulos chamativos e conteúdos duvidosos. A internet, infelizmente, deu voz a quem nunca deveria abrir a boca.

Como pessoa da comunicação eu lamento a quantidade de mentiras sendo difundidas, sempre começando por palavras como “acho”, ‘eu vi no face’, ou “essa é minha opinião”. Às vezes eu gostaria que essas pessoas entendessem que não é questão de opinião. É questão de “saber”, de “provar”, de “testar”. Sabe como é? Método científico. Tese, antítese, síntese. Ou seja: se você não sabe nada sobre o assunto, se não estudou e se informou, CALE A BOCA! Ou no caso das mídias, as mãos.

Vai ter gente aí gritando: mas não é o que a mídia (no caso o jornalismo) faz? NÃO! A imprensa procura informação para passar a informação. Como jornalista, não sou a dona da verdade, nem ninguém é. Por esse motivo procuramos mais de uma fonte para comprovar a notícia. Sabem como é?

Alguém me diz que chove lá fora. Outro alguém diz que faz sol. Eu tenho como obrigação abrir a janela e ver a verdade. E não é a minha ou a sua verdade. É apenas a verdade.

Entendeu porque a opinião do tiozinho do whats não interessa? Ou quer que eu desenhe?

É por essas e outras que vou mencionar o caso de uma notícia que bombou na internet, de um professor doutor que perdeu a paciência (a dele muito maior que a minha) e mandou um palavrão no ar. Nós, que estudamos, e que aprendemos alguma coisa estão com o senhor professor. Muito obrigada por explodir a indignação de todos nós que nos esforçamos, mas que muitas vezes somos calados pelo amontoado de ataques e bobagens.

Como o senhor estamos cansados dos achismos, dos tiozinhos e tiazinhas que vão morrer se não derem uma opinião sem base nenhuma, só porque os dedos vão cair se elas não teclarem alguma bobagem. Por favor, antes de fazer isso, se informem, e garanto que a informação não estará na rede social de um ilustre que não fez nada para ser ilustre.

Quero terminar agradecendo a todos que me leem. Família, amigos, amigos de amigos e leitores que se agregaram ao ‘depoisdos39.com.br’. Vocês sabem que o Google me paga para isso. E mesmo que em quatro anos eu só tenha conseguidos uns 300 dólares sei que vai melhorar. Então, por favor, continua clicando!!! Eu agradeço!!!

 

, ,

2 respostas para “Agradecer sempre! Mesmo quando a gente está chateado”

  1. Gratidão realmente pode mudar tudo. Principalmente o nosso estado de espirito. Obrigada por sua amizade.
    Tem dois documentários que explicam muito bem o que está acontecendo hoje no mundo e nas redes. E um projeto politico de um setor da sociedade bem definido e que está posta há mais de 20 anos. E espero que percam força devido a essa conjuntura muito louca de Virus e Pandemia. Indico um deles “Snowden Heroi ou Traido” e o segundo “Privacidade Hackeada”.