Centenário do papa da educação

Centenário do papa da educação

Hoje Paulo Freire é comemorado em centenário.

Muitos dos amigos e leitores enviaram posts comemorativos (obrigada!), para me lembrar dele.

A ideia de eu usar este espaço para falar de algumas pessoas “esquecidas” não deve se encaixar.

Até o Google fez um Doodle (uma imagem) para comemorar esse herói.

Então… Ele não é esquecido, certo? Errado.

Porque o que tem de gente que nem faz ideia da importância dele, não é mole não!

Pior! Gente que usa sua imensa ignorância para falar mal de algo que nem sabe o significado.

Para a parte biográfica, Paulo Freire (1921-1997) é “Patrono da Educação Brasileira” e autor da “Pedagogia do Oprimido”. Conhecido pelo método de alfabetização de adultos que leva seu nome.

Seria simples se fosse só isso.

Se ao menos as pessoas deste país entendessem que educação vai muito além do B + A = BA, nem estaria escrevendo este post.

Sim! O letramento é importante demais.

Entendi isso quando, aos quatro anos, meu irmão (cinco anos mais velho), começou a brincar de escolinha comigo e me alfabetizou.

Mas o aprendizado vai muito além e isso Paulo Freire sabia bem.

Sua pedagogia dizia que educar é conscientizar o estudante. É ajudar a construção do conhecimento.

Porque a “direita não assumida” e a extrema direita o odeiam?

Talvez seja porque conhecimento é algo que você pode invejar; cobiçar, mas não roubar.

Cem anos de Paulo Freire e não tenho palavras para dizer a importância de aprender a ler.

Não é apenas o ato de decifrar um código secreto.

É entender que há um mundo todo a ser explorado.

Textos a serem interpretados e pensados.

Um mundo que é de todos e que temos de cuidar.

Você já viu a emoção no olhar de um adulto que começou a entender as palavras?

Já percebeu como a criança fica feliz quando lê para os pais pela primeira vez?

Se nada disso lhe fez entender a importância da educação, sinto muito.

Você não usou a educação para se conscientizar.

Conscientizar é usar sua mente consciente para aprender algo.

É esquecer conceitos do tipo “é assim mesmo” para explicar sua inércia ante o mundo.

Paulo Freire é amado por ser alguém que acredita que as mentes têm que ser abertas para se libertar.

Eu posso escrever até amanhã para ‘explicar’ isso a vocês, mas eu não posso ‘entender’ por vocês.

Libertem-se dos seus preconceitos.

Aprendam o significado das palavras.

Parem de dar ouvidos aos medíocres que só querem que todos sejam ignorantes como eles.

Bastam algumas sílabas para construir palavras.

Palavras cheias de significado.

Como a palavra Co-nhe-ci-men-to!

 

 

 

 

 

 

, , ,