Conheça as diferenças de cultivo no solo ou em vasos

Conheça as diferenças de cultivo no solo ou em vasos

Saiba as vantagens de cada tipo de cultura

Vejo nos meus grupos ligados a hortas e jardins várias pessoas que dizem não ter espaço físico para fazer qualquer plantio.

Mas eu mesma já mostrei aqui algumas alternativas para pouco espaço.

Até porque eu moro em apartamento e chão de terra não existe aqui. E, acredite, sinto falta.

Por esse motivo sempre que posso dou um pulo na horta comunitária mais próxima para ver como andam as coisas.

O que importa é saber que nos dois casos (com ou sem espaço), é possível ter plantas saudáveis.

Basta entender a diferença entre plantios de cultivo interno e externo, que vão além de um ser em ambiente fechado e do outro ser ao ar livre.

A primeira diferença é o espaço, o fator mais limitante no cultivo interno.

É o que irá definir qual será o volume de produção que se pode alcançar.

Já o cultivo externo tem espaço físico mais amplo.

Mas é preciso saber o que se vai plantar; a posição da luz natural, o tipo de solo etc.

Nos dois casos, é preciso escolher um lugar onde tenha luz por mais horas no dia.

Isso é importante especialmente na fase de crescimento, quando a planta precisa de 18h de exposição à luz por dia.

Clima

A influência do clima é menos acentuada no cultivo interno, porque o fator ambiental está sob controle de quem planta.

Isso é mais difícil no cultivo externo.

É preciso observar as estações do ano, plantar na melhor época e tomar as medidas necessárias a cada virada no tempo para evitar que a planta sofra com mudanças climáticas.

Iluminação

Dependendo do que se cultiva e o local, no cultivo interno pode-se precisar de luz artificial (lâmpadas de LED são as de menor custo).

Já do lado de fora, temos o sol e precisamos aproveitar.

Pode-se até levar mais tempo para fazer a colheita.

Ou não, já que o Brasil tem grandes períodos de insolação natural.

Pragas e Fungos

Não é porque está em um ambiente fechado que o cultivo interno fica livre de pragas e fungos.

Todos os casos exigem cuidados, mas no cultivo interno é mais fácil controlar e prevenir o ataque das pragas.

De qualquer modo, evite lugares muito úmidos por causa do risco de surgimento e proliferação de pragas e fungos.

No cultivo externo, o combate exige mais cuidados.

Descarte lugares úmidos e prefira locais secos para evitar que as pragas e fungos surjam e coloquem seu cultivo em risco.

Mas, caso apareçam, procure soluções ambientalmente responsáveis e evite agrotóxicos a todo custo.

 

Vasos

No cultivo interno os vasos de plástico são opções boas.

Mas o mais indicado é o vaso de feltro para um desenvolvimento melhor da planta e por permitir a aeração das raízes.

Se for plantar em vasos do lado de fora, evite os plásticos.

A exposição prolongada ao sol resseca o material, tornando os vasos quebradiços.

Além disso, esse tipo de vaso pode aquecer muito e prejudicar o desenvolvimento das raízes.

Tempo de plantar, tempo de colher

É claro que com todo o controle, o plantio interno pode dar resultados de curto prazo.

No caso do externo, o tempo de duração do cultivo é maior.

A colheita poderá ser feita em no mínimo seis meses, dependendo da localização geográfica.

A partir das diferenças entre cultivo interno e cultivo externo, o tempo menor até a colheita é a vantagem do cultivo feito em ambiente fechado.

No caso do cultivo externo, a vantagem pode estar na maior possibilidade de expansão por causa do maior espaço físico.

Em relação à qualidade da planta, não há diferenças entre cultivo interno e externo.

O resultado final será consequência dos cuidados dedicados à plantação mantendo a fertilização e toda a rotina de manutenção.

Apesar das diferenças, os cultivos interno e externo podem ser complementares.

Na etapa de florescimento, o cultivo pode ser externo, com uso de luz natural.

Para o crescimento vegetativo, pode-se transferir a planta para uma estufa, usando iluminação artificial.

Importante destacar que o que não muda é a necessidade de manter uma rotina de manutenção (rega, poda etc.) e uso de fertilizantes.

Para o caso do cultivo externo quando é feito o plantio na terra, diretamente no solo e não em vasos, é importante observar a composição do solo.

A dica é cuidar para que seja bem aerado e bem drenado.

Verifique ainda se não há necessidade de adicionar substratos em conjunto com o próprio solo, caso este seja argiloso e compactado.

Mas a melhor coisa a se fazer é saber tudo sobre a planta que você quer cultivar.

Entenda como ela se desenvolve em vaso ou na terra.

Não esqueça que o solo tem nutrientes naturais, que não estão presentes nos vasos e precisam ser acrescentados.

Vamos plantar?