Cultivo de Orquídeas em Troncos

Cultivo de Orquídeas em Troncos

Voltando ao assunto das orquídeas

Ainda estou triste pela morte de um amigo que trocava ideias comigo sobre o cultivo de orquídeas.
Aprendi várias coisas com ele e sei que essas flores delicadas (que devem ser compradas de cultivadores e nunca retiradas da natureza!) podem ser plantadas em vasos.
Mas aprendi em alguns lugares que também podem ser colocadas em troncos.
E depois que vi algumas acreditei que eles deveriam ficar sempre ali.
É o habitat da maioria das orquídeas.
Espécies que crescem em troncos são chamadas ‘epífitas’ e se desenvolvem usando outras plantas como suporte.
Aliás, entendam isso muito bem: as outras plantas são apenas suporte e as orquídeas não são parasitas como algumas pessoas pensam.
Elas não sugam a planta hospedeira, nem a prejudicam de maneira alguma.

 As orquídeas são muito utilizadas em jardins, plantadas em troncos de árvores e palmeiras.

As mais comuns são as “olho de boneca” ou Dendróbio.
Devido à sua rusticidade, elas formam verdadeiras touceiras, com inúmeras flores.
Aliás, ficam lindas mesmo!
Espero ajudar com essas dicas as pessoas que desejam fazer o mesmo.
Além disso quero pedir que nos ajudem a não deixar suprimir árvores (nem das matas nem das cidades) e, se possível, plantar uma orquídea em algum tronco.
Você verá que até um pedaço de madeira (de verdade, não os MDFs da vida) servem para isso.

Escolha um local

A orquídea é uma flor temperamental e “escolhe” o lugar onde quer crescer, e não o contrário.
Portanto, se você quer colocar aquela orquídea linda, cheia de flores, na mesa de centro da sala para mostrar para a visita, conforme-se.
Pode ser que a  flor não goste deste local.
Ela vai demonstrar isso pela coloração de suas folhas, pela sua taxa de crescimento, duração das flores.
A florada costuma durar mais de um mês em algumas espécies.
Se ela acabou de florir e suas flores começarem a murchar, você colocou sua orquídea no lugar errado.
Se ela não estiver gostando do local onde você a colocou, troque de lugar, até ela se adaptar.

Dica: elas gostam de lugares iluminados, mas sem luz do sol direta.

Vento demais também não é bom.
Lembre-se que as orquídeas originalmente vivem em troncos de árvores, em locais sombreados e úmidos, protegidos do vento em excesso.
Ao ar livre elas também vão muito bem, desde que estejam protegidas do sol e vento em demasia.

As primeiras experiências do meu amigo

De acordo com esse amigo, as primeiras mudas eram deixadas em vasos no parapeito da janela da lavanderia.
Após comprar mudas e achar um lugar que elas gostassem ele decidiu fazer experiências.
Especialmente com coisas que já tinha visto, como ver as orquídeas crescendo em troncos, e produzindo flores às pencas.
Mas, no caso dele, que morava em apartamento, como conseguir isso?
Bem, primeiro ele teve que conseguir um tronco.
Sim, era um tronco pequeno e leve, que ele prendeu com arame e pendurou, fazendo o plantio.
Tirou a muda do vaso e o substrato (que era xaxim moído, hoje proibido), envolveu as raízes da muda no tronco e prendeu com barbante.
Molhava sempre que passava por perto com um borrifador.

Dica: compre um borrifador só pra este fim.

Não reutilize aqueles que contiveram um dia algum produto de limpeza, pois eles são tóxicos para as orquídeas.
Aí vieram os aprendizados com erros e acertos
O acerto foi colocar a planta num local claro, com iluminação indireta, com regas constantes com borrifador.
Os erros… Descobrir que jamais se deve colocar a planta no tronco sem nenhum substrato, ou seja, deixando as raízes expostas.
As orquídeas necessitam de umidade.
Suas raízes devem estar sempre em contato com a umidade (não encharcadas).
Mesmo com regas frequentes, as raízes acabavam ficando secas.
O barbante usado nas primeiras tentativas era fino o que acabou machucando a planta durante o crescimento

 Escolha o tronco

Normalmente se compra a orquídea florida, mesmo porque queremos conhecer a flor, sua forma, cor, perfume, antes de levar a planta pra casa.
Não transplante a orquídea nesta fase.
Deixe as flores caírem para só então mexer em seu vaso.
Isso porque após a florada, ela entra na fase vegetativa, ou seja, começa a desenvolver as folhas, brotos e raízes.
É o início da preparação para a próxima florada e o crescimento está a todo o vapor.
Para ter as orquídeas em troncos, o mais prático é plantar em árvores.

Mas se você não tem nenhuma por perto, não fique triste.

Pode usar troncos secos, obtidos no chão de florestas, restos de podas, madeireiras, ou em lojas de materiais de construção, pois é muito comum utilizar troncos como escora para lajes em construção.
Neste caso, não utilize troncos que liberem resinas, como os de pinus.
As orquídeas não se dão bem com resina e suas raízes não se fixam.
Também não adianta tentar plantar naqueles troncos que imitam xaxim, que são feitos de fibra de coco compactada com cola.
Qualquer base que contenha produtos químicos, as orquídeas não se adaptam.
Existem placas feitas com fibra de coco, sem adição de cola, que podem ser usadas.
É fácil notar a diferença na hora de comprar: as placas feitas apenas com fibra de coco são leves e bem porosas.

Fixe o tronco em um vaso

Se você não tem uma árvore e optou por um tronco para colocar a orquídea, tente fixa-los dentro de vasos grandes e enchê-los de terra.
Assim, além das orquídeas, você poderá preparar um vaso misto, com outras plantas na base.
Mas lembre-se que as orquídeas não gostam de sol direto, então você deve escolher uma planta de sombra para plantar junto.
Pode até colocar hortelã, que também não é amiga de solão e vento.
Ou alguma bromélia. Também amiga dos troncos, as bromélias ajudam o desenvolvimento das orquídeas.

Espécies de orquídeas indicadas e transplantes

Para iniciantes, a melhor espécie é a Phalaenopsis, pois é forte e resistente, gosta de calor, apesar de não gostar de sol direto.
Desenvolve raízes rapidamente, além de suas flores serem maravilhosas.
Resiste bem à falta de umidade.
Quando a planta está bem adaptada, pode-se passar uma semana ou mais sem molhá-la, e ela continua linda e forte.
Orquídea do gênero Oncidium tem belas flores amarelas e que se adaptam bem aos troncos.
Também as do gênero Dendrobium ou ‘olho de boneca’. Seu cultivo também é fácil, mas requer bastante umidade.
Para transplantar deve-se tirar a orquídea do vaso e envolver as raízes com substrato.
Depois envolva com um pano fino como a gaze usada em curativos ou fibras de cordas (sem resinas), com tramas abertas.

Então elas devem ser amarradas ao tronco, deixando a muda na vertical.

Dessa maneira a orquídea não vai sofrer muito com a transição, pois está envolvida pelo substrato, suas raízes não ficam expostas e é muito mais fácil manter a umidade.
As regas devem ser constantes (sempre que o substrato estiver seco).
A frequência vai depender da rapidez que o substrato seca.
Se você deixar o substrato secar às vezes, tudo bem, ela vai crescer, mesmo que seja um pouco mais lentamente.
O tempo para a orquídea pegar vai variar de acordo com a espécie, mas em geral demora mais de um ano.
Não desista. A recompensa virá em forma de flores!

 

,