Dia do consumidor ou do consumismo?

Dia do consumidor ou do consumismo?

Esta é a semana do consumidor e claro, no meio dela, o dia do consumidor.

Antes de qualquer coisa, essa é mais uma data de ganhar presente?

Porque é o que parece.

Vejo nos tópicos de pesquisa uns 400 mil anúncios de “ofertas” para a semana.

Claro, é o dia do consumidor e deveríamos… consumir!

Mas quero chamar a atenção para a relação: consumidor X vendedor/prestador de serviço.

Talvez porque a minha relação com estes já azedou faz tempo.

Senão vejamos:

Eu pago uma nota preta de energia elétrica, mesmo consumindo abaixo do necessário.

E a ENEL é péssima prestadora de serviço, tenho quedas de voltagem toda hora.

E a gente nem tem como reclamar porque o atendimento é via máquina.

Vocês não se sentem estúpidos gritando com uma voz eletrônica?

 

Eu (meu prédio) consumo cerca de 20 metros cúbicos de água.

Deveríamos pagar 40 metros cúbicos de água e esgoto.

Mas ao invés de sermos cobrados pelo consumo, somos cobrados pelo número de apartamentos.

E já vivi sozinha neste prédio… Consumia uns 3 metros cúbicos…

Resultado: A Sabesp cobra 60 metros, mais um monte de tarifas.

 

Minha fornecedora de TV por assinatura (a Claro) me cobra para acessar conteúdo televisivo.

Mas além de ter uns 15 canais que passam horas de propaganda ao invés de conteúdo têm:

1 – Uma grade de programação que não informa o que está passando.

2 – Reprises de programas que já acabaram há mais de 20 anos em pelo menos quatro canais.

3 – O mesmo filme passando, ao mesmo tempo, em uns quatro canais.

4 – Descrições de programas que vão desde a palavra “indisponível” a uma coisa genérica que não sabe nem o ano da produção.

Telefonia fixa ou móvel então está uma beleza.

Cancelei meu TIM fixo porque ele não fazia nada que um telefone fixo deveria fazer, como:

Ligar para telefones de emergência, tipo ambulância, polícia etc.

Saía do ar ao ponto de ter que ligar do meu celular para reclamação.

Na quinta vez eu cancelei.

Não vi vantagem em pagar por um serviço que não era prestado.

E um mês depois tive que ligar pra Anatel para contestar uma conta indevida.

E chegamos ao ponto chave.

Vocês já perceberam que temos que ligar para um número infinito de coisas para obtermos os direitos que já são nossos?

Essas empresas pagam multas por descumprimentos de leis.

Mas porque as multas não vêm para o prejudicado, o consumidor?

Porque as pessoas lesadas somos nós.

Não, é claro, do ponto de vista de quem deveria nos defender.

Para eles somos apenas números.

Carteiras com cartões de crédito.

Temos o direito de dizer sim a tudo que está errado.

Mas é nossa culpa, porque no dia do consumidor estamos vendo ofertas de produtos e serviços.

Não estamos vendo que perdemos um tempo e um dinheiro cada vez que temos que reclamar nossos direitos.

No próximo dia do consumidor, eu quero de presente uma central única para reclamar de todos os produtos e serviços que lesam nossos direitos.

Começando por um que reclame do DESgoverno.