Dicas de cultivo de orquídeas e um amigo que foi plantar junto a Deus

Dicas de cultivo de orquídeas e um amigo que foi plantar junto a Deus

 

A esquecida
Confesso que adiei demais este artigo.
Prometi a uma amiga que faria uma pesquisa legal sobre orquídeas.
Isso porque ela começou a se interessar por essas flores tão delicadas de trato.
E fui pesquisar, na internet, mas, principalmente junto a um amigo que cultivava orquídeas.
Depois de trocas de mensagens e alguns telefonemas, consegui informações interessantes que vou compartilhar neste artigo.
Mas lamento informar que meu amigo que amava orquídeas se foi.
Foi para perto de Deus plantar flores, espero!
Era uma pessoa de índole maravilhosa e suas plantas reconheciam isso. Nós que aprendemos a gostar da companhia dele também.

Em tempo: as fotos que vou usar aqui foram feitas pela amiga Ana Ligia durante um festival de Orquídeas, na cidade de Poá (SP), seis anos atrás.

A primeira coisa que aprendi com esse amigo cultivador de orquídeas é que a paciência é essencial para ser um orquidófilo.

A segunda é que a maior parte das orquídeas brasileiras é epífita, ou seja, elas crescem presas às árvores, mas não são parasitas.
Aliás Orquídeas não roubam nenhum nutriente de suas hospedeiras.
Outra coisa que meu amigo fez questão de ensinar é nunca coletar ou comprar plantas retiradas ilegalmente das matas.
As orquídeas já foram bastante dilapidadas pelos mateiros e colecionadores gananciosos.
Compre orquídeas de empresas produtoras de mudas ou de orquidófilos que tenham plantas disponíveis.

Diga não às orquídeas coletadas do mato.

Posto isso, vamos às outras lições:

1 – Sempre escolha espécies de orquídeas adaptadas à sua região.

Como a florada dessas plantas se dá duas vezes ao ano, é bom ter espécies diferentes.
Isso aumenta as chances de ter sempre alguma flor para admirar.

2 – Mantenha o vaso úmido, mas não encharcado.

É mais fácil matar uma orquídea por excesso do que por falta d’água.
Aliás, não ponha pratinho com água debaixo do vaso, pois as raízes apodrecem.
Molhe abundantemente duas ou três vezes por semana, deixando a água escorrer totalmente.
Nos outros dias, basta vaporizar as folhas de manhã cedo ou no final da tarde, quando a planta não estiver sob o sol.

3 – Ponha suas plantas em locais onde elas possam ser banhadas pelo sol no horário da manhã.

Como as pessoas elas gostam do sol até as 9 horas e após as 16 horas.
Se a planta não tomar sol, ela não vai florescer.
Você pode fixar as orquídeas no tronco de árvores, desde não tenham copas muito grandes e sombreadas como as mangueiras.
E de preferência, mantenha os vasos em um mesmo local.
As plantas se ressentem das mudanças.

4 – As orquídeas precisam de locais arejados, mas não de locais onde bate vento forte.

Não esqueça que orquídeas são plantas delicadas.

5.  Utilize um desses adubos líquidos, que encontramos nas lojas jardinagem.

Adicionar algumas gotas à água com que será feita a vaporização, no caso de usar pequenos pulverizadores.
Procure molhar sempre a parte inferior das folhas de sua orquídea, pois é aí que se encontram os estômatos, que absorvem água e nutrientes.

6. Se você cultivar as plantas de uma forma adequada, elas serão resistentes a pragas e doenças.

Se não houver excesso de umidade, por exemplo, dificilmente os fungos irão atacar.
De qualquer modo, previna-se.
Um dos grandes inimigos do cultivo de orquídeas são as cochonilhas.
Esses pequenos organismos sugam a seiva da planta e podem matá-la se não forem combatidos.
Quem possui poucas plantas pode catá-los, um a um, antes que se propaguem.
No caso de uma infestação, há necessidade de usar defensivos.
Dê preferência às fórmulas naturais, pois os produtos industrializados costumam ser tão prejudiciais às plantas quanto a quem cultiva.
Borrifar água com fumo de corda costuma ajudar bastante.

7. Anote o nome da sua orquídea numa plaqueta ou use códigos para identificação.

Anote também a data da floração de cada planta.
Se ela não voltar a florescer na mesma época, no ano seguinte, isto pode ser um sinal de alerta.
Talvez ela esteja com algum problema.
Examine, então, as condições de irrigação, luminosidade, ventilação etc.

8. Frequente uma associação de orquidófilos se quiser levar isso a sério.

É um ponto para trocar ideias, tirar dúvidas sobre o cultivo de orquídeas e fazer contatos.
Os orquidófilos gostam de partilhar conhecimentos e, em se tratando de orquídeas, sempre serão incompletos.
De acordo com o meu amigo, as orquídeas sempre nos surpreendem com alguma novidade a aprender sobre elas.
Talvez resida aí a aura de mistério que essas plantas exóticas carregam consigo.
, ,