Estou triste… Aretha se foi

Estou triste… Aretha se foi

Hoje o dia acordou cinza e com menos música no ar.
Uma das vozes mais belas do mundo foi cantar para Deus e só nos deixou aquilo que foi eternizado em discos, vídeos e filmes.
Aretha Franklin, nascida em março de 1942 e morta neste triste 16 de agosto de 2018, foi considerada a maior cantora de todos os tempos, e ela era.
Mas ela era mais que isso.
Era uma mulher que lutou por direitos civis.
Alguns dizem que essa luta foi em tempos piores que os nossos.
Mas eu não creio nisso, pois só vejo a humanidade descer a ladeira.
O mundo não acordou só sem a voz dela para cantar, acordou sem a voz dela para lutar pelas coisas certas ou para chamar a atenção das pessoas para pensar.
Estou vendo Aretha (mentalmente) no filme “The Blues Brothers” com sua voz potente cantado “Think” (pense) e desejando que alguém mais faça isso.
Não vou fazer como muitas pessoas em comentários toscos de redes sociais.

Não posso fazer comparações entre essa diva e as coisas horríveis oferecidas em rádios e TVs, porque Aretha é incomparável.

Aliás, as redes sociais hoje estão lotadas de pessoas lembrando as canções mais famosas (Say a little prayer, Respect etc.).
Mas ela teve uma carreira tão vasta que isso parece nada.
A dama do Soul, diz a lenda, não gostava de sair de Detroit, o que obrigava produtores, jornalistas, vídeo makers a se deslocar para a cidade atrás dela.
Ninguém se arrependeu, pois ela sempre tinha algo espetacular a mostrar.
Além de ter estrela na calçada da Fama em Hollywood, Aretha foi a primeira mulher a entrar para o clube do bolinha mais exclusivo da música, o Rock and Roll Hall of Fame, em 1987.

Ela foi condecorada com a Medalha Presidencial da Liberdade pelos serviços prestados ao seu país na luta pelos direitos civis.

Aliás, ela foi considerada a “voz da América Negra”.
Mais que isso, ela foi a voz das mulheres e ícone da luta das mulheres negras.
Nesses tempos atuais, em que idiotas chamam qualquer luta por direitos de mimimi, uma voz como a dela não poderia ser silenciada.
Espero que não precise me esconder em subterrâneos para ouvir sua voz gravada Aretha, porque pessoas como você não nascem todos os dias.
Em tempo: estava vendo (por preguiça de mudar o canal) um desses programas de quem está mal vestida.
A certa altura alguém colocou Aretha.
Mesmo com preguiça, me lembro de ter dito em voz alta:

“Quem se importa se ela é ou não uma fashionista? Ela é Aretha! Está acima dessas mundanices”!

O NatGeo fez uma série chamada Genius.

A terceira temporada é sobre ela.

Preciso dizer mais alguma coisa?