Festas juninas e religiosas adiadas, mas vai acabar!

Ontem foi dia de Corpus Christi, uma grande solenidade para a fé cristã/católica, pois é a celebração da Eucaristia, o ato principal de toda missa: colocamos fé no corpo e sangue de Jesus que veio ao mundo para nos salvar, e cujo dia é celebrado 60 dias após o domingo de Páscoa, ou na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade.

Essa é uma grande festa. Um testemunho público de veneração à eucaristia que, neste ano, não poderá ser feita do modo habitual, visto que estamos (ou deveríamos estar) em isolamento social. Portanto, pela primeira vez em muito tempo, não serão feitos os tapetes para passar a procissão. Mas não é isso que importa. O que importa é que adorar a eucaristia é afirmar que estamos, durante a comunhão, crendo que o pão e o vinho representam a salvação. Mais que isso, é crer que devemos mesmo amar uns aos outros para que esse ato tenha valor.

 

Não há fé que resista à falta de atos concretos.

E em um feriado que está muito longo, queria que todos os que estão agindo como se a pandemia fosse só uma “chateação”, ou que acham mais importante ir ao boteco da esquina beber e jogar nas maquininhas, pensassem que a família de luto pode ser a sua. Que a vaga de UTI pode não existir, e que você pode contaminar outras famílias, além da sua. Isso, mais do que a crença na eucaristia, é ser cristão. É pensar no próximo e respeitar o direito de todos à vida, ao trabalho, à paz.

Mas esse feriado tem mais junto com ele, pois tem uma data comercial no meio (Dia dos Namorados) e a primeira das grandes festas juninas (Santo Antônio), que estão com o mesmo problema. Nada de ir ao shopping comprar presentes, nem barracas de quermesse montadas.

Porque chamo ao Dia dos namorados uma data comercial? Porque é! Ninguém precisa de um dia especial para mostrar que ama outro alguém além de si mesmo. Nem precisa de flores, bombons e presentes para isso. Mostre seu amor sendo responsável e preservando a saúde daqueles que ama. E se quiser dar presente ou fazer um jantar especial, use algum aplicativo que mantenha vocês em segurança. O vírus não vai perguntar sua idade, nem se você está apaixonado (a); ou se você tem uma condição pré-existente…

Se o amor é verdadeiro, não precisa de data especial…

Finalmente chegamos ao dia de Santo Antônio, para mim muito especial, pois é um dia para pensar nos menos favorecidos, que têm se multiplicado demais neste país.

Sim, vou sentir falta de ir à missa na Igreja de Santo Antônio; de receber a bênção dos franciscanos daquele convento e pegar meu pão bento, enquanto peço para não faltar nada pra minha família e todos os que amo. Mas posso fazer preces na minha casa e pedir, além de tudo o que falei, para que Santo Antônio nos ajude a conquistar um mundo mais saudável e mais justo.

Posso pedir a Santo Antônio que, além de conseguirmos vencer o vírus, sejamos pessoas melhores e consigamos vencer os nossos egoísmos, as nossas mesquinharias e que realmente erradiquemos a miséria deste mundo. Vamos pedir para que as pessoas consigam trabalho digno.

Rezemos por igualdade de direitos e pelo fim dos privilégios; pelo fim das vaidades que andam se sobrepondo à humanidade.

E por favor: se você não tiver nada de urgente para fazer na rua, fique em casa. Deus entende melhor que você essa necessidade. Quanto mais cedo fizermos o necessário, mais cedo nos livramos dessa provação.

 

Deixe seu Comentário Respeitoso

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *