Mães não podem ser digitais!

Mães não podem ser digitais!

Meu post de sábado, no mês das mães, e lembrando que amanhã é o dia delas, é bem pessoal.

Quero lembrar a minha mãe, e como seria se ela ainda vivesse.

Vejo as pessoas andando pelas ruas sem olhar nos olhos umas das outras, presos a uma tela de celular, ou no trabalho, presas a um computador.

Pessoas andando sem atenção, tropeçando pelo caminho como se responder a uma mensagem ou olhar aquele post do Facebook ou do Instagram fosse mais importante do que respirar. Não é.

Precisamos voltar a pensar com calma e lembrar que de urgente só o ato de salvar uma vida e a vida não está nas telas.

Creio que minha mãe, que não era a mais paciente das criaturas, pensaria que o mundo endoidou.

Isso porque vejo muitas pessoas perderem o interesse pelo real só para ficar em um mundo virtual.

Um mundo que não nos traz nada de tão bom a ponto de nos perdermos nele.

Queria lembrar nesta véspera que celular não abraça, computador não incentiva, televisão não consola.

Mãe faz isso.

E nesta hora peço às mães do século XXI para tirarem seus olhos da tela e olharem mais os seus filhos.

Eles precisam ser criados por vocês e pelos pais deles (se tiverem), não por objetos inanimados.

Seus filhos precisam de contato humano real e caloroso e não de boots mentirosos.

Mas essa é uma discussão mais profunda.

Neste post quero lembrar a minha mãe, que sempre trabalhou e mesmo assim sempre me dedicou tempo, carinho, reprimendas quando eram necessárias.

Que me ensinou que a vida é aprendizado eterno, e que violência nunca pode ser a resposta.

Quero dedicar esse post às minhas tias e primas, que são mães, mesmo que em espírito.

Às minhas amigas e colegas (não vou nomear pois a lista não teria fim!).

À minha sobrinha/nora Maria!

Quero dedicar a todos que sentem saudades da mãe que já se foi.

Às mães que perderam seus filhos, porque na verdade não os perderam, apenas pegaram um atalho para outra vida.

Quero mais que tudo lembrar todas as mães que estão neste mundo, tentando desesperadamente cuidar de seus filhos.

Não está fácil viver, e mesmo que sejamos muito fortes, somos vulneráveis diante de tanta violência.

Que Deus nos proteja e que todas nós tenhamos um bom dia das MÃES!