Não quero morrer sem água

Não quero morrer sem água

Porque precisamos de muito mais árvores

Embora pareça que o título não tem nada a ver com o subtítulo, prometo que chegaremos a uma conclusão.
Vamos começar por uma coisa que é bem próxima de mim, que é a vida das árvores na cidade.
Precisamos de árvores para oxigenar um ar que está sobrecarregado de partículas e poluentes vindos das fábricas, dos veículos, enfim, das ações humanas.
Mas elas também são necessárias para baixar a temperatura dos locais onde vivemos.
Já falei em mais de um artigo que locais arborizados têm temperaturas mais amenas que avenidas que só têm asfalto e cimento.

As árvores, em sua respiração, não apenas refrescam, mas também atraem chuvas mais amenas.

Elas fazem o ambiente ficar com umidade balanceada.
Árvores diminuem a possibilidade de temporais violentos e enchentes, já que o solo se torna menos impermeável.
Agora que falei do que acontece nas cidades, falemos de um problema que acontece no Cerrado brasileiro.
Essa questão foi discutida no 8 º Fórum Mundial da Água em Brasília-DF.
Entidades ambientalistas divulgaram que 100 milhões de hectares de árvores do cerrado foram devastadas para plantar soja.
Quero deixar claro aqui que não sou contra a agricultura.
Sou contra a destruição desnecessária de um bioma de 40 milhões de anos sendo substituído por uma monocultura.
Isso vai destruir muito mais do que pequenas árvores e animais…

Vai destruir o abastecimento de muitas bacias hidrográficas.

O Cerrado brasileiro, com suas pequenas árvores e arbustos é como uma floresta de ponta cabeça.
Suas raízes buscam água bem profundamente, e isso mantém a permeabilidade do solo.
Isso permite a recarga dos aquíferos quando chove.
E porque isso é importante?
Porque os aquíferos do Cerrado abastecem as principais bacias hidrográficas do País, e sem elas, não tem água pra beber.
Não tem água para tomar banho ou abastecer a nossa principal fonte de energia, as hidrelétricas.
E, claro, não tem água para a agricultura e a pecuária brasileira.
Termino perguntando ao leitor:
Você também não acha que precisamos parar de destruir coisas pensando nesse “progresso” que não alimenta ninguém?
Portanto, vamos parar com a destruição não só do cerrado, mas das florestas tropicais, da caatinga, das cidades.
Entenderam agora a relação entre água e árvore?

 

, ,