Nesse dia da mulher…

Nesse dia da mulher…

Todos os anos, quando chega o 8 de março, penso em acordar e dar parabéns a todas as mulheres do mundo.

Parabéns pela luta em ser reconhecida como um ser humano, cheio de falhas e qualidades.

Mas aí eu vejo como estão as coisas e perco a vontade.

Então eu desejo ter braços infinitos para abrigar a dor de tantas.

Quero chegar um dia e ver que estão todas seguras, sem serem assediadas, trabalhando em paz e ganhando seu sustento com dignidade.

Ou ver o dia em que não há um idiota, se achando muito engraçado, fazendo uma piada machista.

Quero ver a mulher, que sem perceber a própria escravidão pergunta, na inocência (?): “porque as mulheres não servem mais os pratos do marido?”

Estou cansada de ver notícias sobre mulheres assassinadas, mutiladas, tratadas como objeto, ganhando menos que homens e fazendo um trabalho mais importante.

Quero ler notícias em que as mulheres conquistam seu espaço e que concorrem em pé de igualdade com seus pares do sexo oposto.

Será que veremos o dia em que os homens não afirmem que são feministas porque respeitam suas mães, companheiras, esposas e filhas?

Ou o dia em que eles nos consideram iguais.?

Há uns anos alguém, bancando o engraçado, me perguntou: “ué, vocês não querem igualdade?”

Me lembro de ter respondido que queremos “isonomia”.

Para quem não sabe, é o reconhecimento de direitos iguais, e não igualdade.

Se eu quisesse igualdade, no caso desse ser, eu teria que me rebaixar muito.

Fui malvada? Sim. Mas cansei de me justificar.

Feminismo não é o contrário de machismo.

Já disse isso muitas vezes e repito:

Feminismo é uma luta por direitos iguais, enquanto machismo é a manutenção de privilégios.

Machismo é uma coisa incrustada que aca que mulheres podem ser micro e macro agredidas.

É a manutenção da cultura do estupro.

Uma situação em que as mulheres podem ser atacadas violentamente e trabalhar em turnos triplos.

É ter que lutar para um genitor pagar a pensão dos filhos.

Ter que fugir e se esconder porque a lei não “vale” para proteger e preservar a vida da mulher.

Quero chegar a um 8 de março e ter motivos reais para comemorar.

Sei que muitos estão escrevendo textos parecidos, usando um montão de estatísticas.

Não farei isso, porque cansei de ser parte de uma estatística.

Assim como eu, muitas mulheres cansaram disso, de fazer muito mais que a parte delas e não ser reconhecida por nenhuma.

Mesmo assim, feliz dia internacional da mulher para quem continua lutando.