Que Deus nos ajude!

Que Deus nos ajude!

Tudo de ponta cabeça

Vivemos tempos muito perturbadores, mas, querem saber?
Não me lembro de quando os tempos foram menos perturbadores.
Hoje nas redes sociais muitos falam sobre o ataque de forças dos EUA, Reino Unido e França sobre a Síria.
Mas, até uns dias atrás, tínhamos postagens sobre os ataques químicos que ninguém assume.
Muitos dizem que são graças a tecnologias russas.
Mas isso não me importa mais.
Porque estou cansada de gente trazendo problemas quando tudo o que o mundo precisa são soluções.
Que as soluções deveriam vir em forma de paz?
Sim, é o que desejo, mas não sei se isso é possível depois de tudo o que vi e ouvi.
Trazendo o problema para mais perto, vamos aos nossos “bombardeios”, porque estamos em situação melhor do que os Sírios…

Será que estamos?

Vejamos:
Nossos direitos adquiridos são cassados todos os dias.
A Consolidação das Leis do Trabalho, que foi elaborada nos tempos do Estado Novo (quem não souber o que é, ESTUDE!), e aprimorada ao longo dos tempos, está se despedaçando e fazendo os trabalhadores voltarem a regimes de semiescravidão.
Vejo cada vez mais postos de trabalho sendo suprimidos sem que isso signifique progresso verdadeiro.
Há pessoas que acreditam de verdade que se uma pessoa não conseguiu juntar bens é por culpa dela mesma.
Que acreditam que este sistema não é  tão viciado para que uns sejam privilegiados.
Isso enquanto outros se matam e não conseguem nem as migalhas que caem da mesa.
Posso parecer dramática, mas como vocês explicam que os bancos, que batem recordes anuais de lucros, estejam fechando agências e demitindo cada vez mais funcionários?

Tecnologia? Pode ser.

Mas também eles estão se eximindo da responsabilidade de fornecer segurança física e virtual aos nossos parcos recursos.
Quantos dos que me leem usam aplicativos em seus computadores e celulares, que podem ser roubados física e virtualmente?
Mas é por sua conta e risco, porque o banco não vai lhe ressarcir.
Quantos perderam seus empregos porque a empresa “reestruturou” alguma coisa?
Ou tiveram seus números de cartões e contas roubados por falta de segurança?
Foram jogados à margem só porque alguém diz que aquele dono de empresa, que maltratou seu funcionário, acreditou que não era rico e poderoso o suficiente?
Hoje acordei para fazer um trabalho e entre as coisas que estava monitorando, apareceram várias postagens contra o fim do SUS (Sistema Único de Saúde).
Para milhões de brasileiros, é o único acesso a alguma medicina em um país doente.

E descobrimos isso durante a pandemia.

Nossos saneamento é horrível e milhares de pessoas não têm acesso a água limpa, comida de qualidade, esgotamento etc.
E eu ainda tenho que ouvir dos imbecis que as pessoas deveriam pagar para ter tudo isso.
E eu tenho a responder: deem-nos direitos iguais de educação, sanidade e qualidade de vida.
Porque nós pagamos por tudo isso sim senhores, a cada pãozinho que compramos com nosso dinheiro suado.
TUDO neste país tem cargas enormes de impostos embutidos e estamos pagando pelo direito a ter um país que funcione para todos.
Sim senhores e senhoras!

Pagamos para ter polícia, para ter banco, para ter escola, merenda, estrada, hospital, tudo!

O que é feito com esse dinheiro?
Perguntem bastante, porque isso é muito mais do que os tolos nos fazem acreditar.

E em nome de todos que foram jogados à marginalidade porque esse sistema é cruel, eu pergunto: qual é o limite?

Eu atingi o meu. Depois deste artigo, só vou publicar receita e coisinhas positivas.
Em tempo: eu sou Rita, ainda espero que a justiça do trabalho cobre por dois empregos meus.
Dois trabalhos onde não recebi salários atrasados e rescisões.
Onde tive meu cartão de crédito clonado e paguei por algo que nunca comprei.
Creio firmemente que o dinheiro e o poder são as raízes de todo o mal.
E faço um blog que não me garante um tostão furado só para compartilhar experiências.