Queremos caminhar em uma cidade segura!

Queremos caminhar em uma cidade segura!

Como caminhar em cidades mal planejadas e fiscalizadas?

Muitas pessoas lerão este artigo e dirão algo do tipo: “mas está assim em todo lugar”, portanto, começando pelo final, eu vou responder:
“Sei que eu não posso consertar o mundo se não consigo nem consertar o que está à minha volta”.
Após esse preâmbulo, vamos ao que interessa.
Já falei inúmeras vezes que sou uma caminhante. Isso significa que faço caminhadas diárias para desestressar, ajudar na minha musculatura etc.
Pois então, hoje, como todos os dias, saí de casa pela manhã e desci a rua da minha casa, com meus fones de ouvido tocando minha playlist rock and roll.

Quando caminhar, veja o que está à sua volta

No percurso entre a minha casa e a avenida onde eu realmente começo a acelerar o passo, vou olhando ao redor e nada há que me agrade. Para começar, é melhor caminhar pela pista de carros, já que as calçadas de Diadema são feitas para pessoas com uma perna mais curta que a outra, tal a inclinação.
Algumas calçadas têm mais de 50º de inclinação, o que mostra que cada um faz o que quer e não o que manda o plano diretor.
Mas, tudo bem! Também não tem fiscalização!
Vejo os postes com milhares de fios, elétricos, de telefonia, TV a cabo, internet… Além de mal colocados, muitos deles estão caídos pela via, sobre a calçada, enrolados aos postes, enfim, de qualquer jeito.
Mas, tudo bem! Não há fiscalização!
E não adianta reclamar nas empresas responsáveis, porque elas vão sempre culpar o outro e nunca vão consertar isso.

O espaço público precisa ser repensado

Voltando às calçadas, vejo algumas bocas de lobo com tampas quebradas que são um perigo para pessoas desavisadas caírem em um buraco.
Há uma em frente ao supermercado com um cavalete e algumas caixas sinalizando o perigo.

Mas, tudo bem, porque não há fiscalização!

Não vou nem falar dos carros estacionados irregularmente sobre as calçadas, nem do lixo e entulho espalhado por toda a parte.
Muitos dirão que as pessoas são mesmo sem noção e fazem coisas erradas.
Mas vou falar da falha do poder público em cumprir seu papel de administrar e fiscalizar, porque isso está cada dia mais comum.
Infelizmente, o ato de caminhar traz coisas bonitas de se ver, mas às vezes só enxergamos o que não está certo.
Sonho com o dia em que as ruas de Diadema e São Bernardo terão árvores, calçamento decente, limpeza e espaço para os seres humanos viverem em paz.
, ,