Se prepare porque depois das festas…

Se prepare porque depois das festas…

Material escolar: pesquisa de preços garante economia

Todo ano é a mesma coisa. Mal terminam as festas e já é hora de pagar uma série de impostos, taxas e todas aquelas despesas típicas de início de ano. IPTU, IPVA, PQP.
Mas, entre essas despesas, vem a lista de material escolar das crianças.
Não à toa, janeiro acaba sendo um dos vilões do endividamento ao longo do ano e requer um bom planejamento, que coloque os números no papel e permita economizar algum dinheiro.

Para a compra do material escolar, é fundamental realizar uma boa pesquisa de preços.
Alguns sites e portais são especializados nessa função e permitem comparar tanto as lojas virtuais como as físicas.
Itens como cadernos, agendas, canetas, lápis de cor e estojos costumam apresentar enormes diferenças de preços.
Uma boa dica é conferir os levantamentos feitos pela Fundação Procon, que analisa os valores cobrados por alguns estabelecimentos.
Essa lista é útil para encontrar o produto procurado por valores mais baixos (procon).
Além disso, é possível encontrar alguns preços menores em lojas de bairro.

Pesquise sempre antes de fechar negócio

Mas, com a concorrência no setor, principalmente nesta época, os grandes estabelecimentos oferecem descontos.
Para compras a prazo, deve-se checar cuidadosamente as taxas de juros.
Existe ainda uma estratégia interessante, que é a reunião de vários pais para a compra em conjunto.
Nas lojas atacadistas, o preço tende a ser mais barato.
A compra pela Internet ganhou muito espaço com a pandemia e os descontos lá também melhoraram. mas atenção ao valor do frete!
Também pela web é vantajoso comprar livros do que em livrarias físicas.
Os sebos e lojas que vendem livros usados oferecem bons descontos (50% ou mais) em relação ao produto novo.
É necessário um pouco mais de pesquisa para encontrar todos os itens da lista, mas mesmo assim trata-se de uma boa alternativa.
Sempre que possível, é recomendável evitar material escolar de grife ou enfeitado com os super-heróis da TV ou dos quadrinhos porque custam até 50% mais caro.
Produtos como colas, tintas e fitas adesivas, entre outros, merecem atenção especial.
Eles devem conter informações claras e precisas, em português, a respeito dos fabricantes.
Também devem ter informações técnicas como composição, condições de armazenamento, prazo de validade e riscos à saúde do consumidor.
Surgindo a necessidade de trocar o material, é necessário ter em mãos a nota fiscal da compra.
Privilegiar os fabricantes nacionais de lápis, canetas e borrachas oferece aos pais a garantia de materiais atóxicos e adequados à legislação nacional.
É importante lembrar que esses materiais estão, literalmente, na boca das crianças!
,