Se você me ama, me siga e compartilha!

Se você me ama, me siga e compartilha!

Ok! É um título esquisito, mas vou explicar: o meu blog está atualmente em duas plataformas (blogspot e wordpress), sendo que a primeira, que ainda mantenho, é a blogspot, na qual as pessoas se inscreviam para receber os conteúdos por e-mail, o que facilitava um pouco a distribuição e atração de leitores, mas vai deixar de existir, e estão me aconselhando a salvar os e-mails dos inscritos porque eles não vão mais distribuir para os inscritos.

Também havia a ferramenta do Google Mais, que era meio que uma rede social do Big G para dar visibilidade e trazer leitores. Hoje, essa plataforma mal me dá as ferramentas padrão de distribuição de conteúdo, e ainda por luxo, quando algo que escrevo viraliza, eles ficam desconfiados que a minha pobre pessoa contratou uns robôs para clicar e ler.

E assim aqueles que escrevem conteúdos originais e perdem um tempão procurando assunto, pesquisando, escrevendo de modo coerente, criando, tratando imagem e ainda tendo que distribuir seu trabalho para conquistar leitores e míseros centavos vão fazendo os donos do Google, entre outros) multiplicarem seus mil milhões a ponto de poder nadar em dinheiro na caixa forte do Patinhas.

Essa é a minha maneira de justificar este texto: enquanto milhões de pessoas estão suando sangue para conseguir pagar as contas e sobreviver fazendo o trabalho duro, uns poucos estão lucrando milhões com esse trabalho, vide a lista da Forbes, que mostra uma lista de novos milionários, enquanto o mapa da fome cresce. Aliás, a lista da revista tem novos nomes (inclusive brasileiros), que lucraram muito durante esses tempos de pandemia (leiam neste link), e não me refiro apenas ao mercado farmacêutico e às tecnos, que criaram um sem número de apps para o povo do controle remoto, que é como eu chamo aqueles que podem chamar tudo no aplicativo, que não vai faltar.

E o primeiro que falar no tiozinho ou tiazinha que teve que largar tudo para entregar comida, e que é hora de “empreender”, juro que dou um murro na fuça.

Hora de taxar as fortunas? Com certeza! Os caras dessa lista (os conscientes, é claro) dizem que essa é a única maneira de fazer uma distribuição mais igualitária. É claro que esses caras que pensam dessa maneira não vivem no Brasil, onde os impostos existem para comprar eleições, mas não para comprar vacina ou devolver para o cidadão que perdeu tudo um pouco do muito que pagamos em impostos.

Mas, esse post não é para discutir o que precisamos fazer como país, e sim o que precisamos fazer como pessoas, que é ter mais empatia com as dores dos outros, porque essas dores também são nossas. E que deveríamos tentar ajudar alguém que está com algum negócio a decolar. Tipo, compartilhando aquele link da loja virtual de roupas, ou a pet shop. Sei lá. Vamos dar uma força.

É também para explicar que as coisas que aparecem, “magicamente” nas telas de celulares e computadores, são feitas por alguém, às vezes de graça, para outro alguém que só está lucrando, muitas vezes sem criar emprego e renda, nem nada.

Pior, pense que um app bonitinho do seu banco, que você usa para pagar continhas e fazer outras coisinhas, está roubando o emprego de alguém que era pago para fazer isso por você…

Admirável mundo novo? Ou abominável mundo novo?

Finalmente, talvez eu deixe de produzir no blogspot, sei lá, ficar só no wordpress, mas o que eu vou pedir mesmo é: POR FAVOR, ME AJUDEM A DISTRIBUIR MEU CONTEÚDO. Eu não tenho 1 milhão de seguidores que me leem. E mesmo que tivesse, se estivesse no Youtube, duvido que minha quantidade de “joinha” chegasse a 10%.

Leiam, cliquem em algo que se move. Compartilhem. Nem precisa ser este texto. Tem coisas para todos os gostos no depoisdos39.com.br. Me sigam nas redes sociais (tem página no Facebook, Instagram, Pinterest, Whatsapp). Se você gosta, me siga. Se me ama, compartilha.

 

, ,