Violência incomoda muito

Violência incomoda muito

Precisamos começar a lutar contra a violência de baixo para cima

Há certas coisas acontecendo que incomodam bastante, e não apenas a pessoas que passaram dos 39 anos. Pelo menos é o que espero. E gostaria de compartilhar um pouco da minha experiência.
Há 16 anos moro em uma cidade que já foi considerada como uma das mais violentas do País, mas essa realidade havia sido mudada com atitudes que realmente diminuíam a criminalidade, como uma lei que fechava bares às 23 horas, ou que impedia os tais pancadões nas ruas e veículos fazendo muito ruído.

Não estou pedindo para amar o próximo, mas para ter respeito pelo próximo

Com essas coisas, aliaram-se algumas iniciativas que primavam pela inclusão, com artes, esportes, cursos profissionalizantes e mais proximidade entre cidadão e poder público para resolver questões pontuais. A violência não desapareceu da cidade, mas diminuiu bastante.
O que está acontecendo agora, e que realmente chateia muito, é uma volta dessa violência, perceptível até nas atitudes dos chamados “cidadãos de bem”. São coisas que, a princípio, parecem bobas, mas que mostram a falta de bom-senso que cresce e vira um monstro descontrolado.

Podemos mudar a cara das cidades com respeito

São pessoas que estacionam veículos sobre calçadas impedindo o pedestre de circular por ali; veículos que ignoram o fechamento do semáforo, mesmo que isso os leve a atropelar uma pessoa; pessoas tocando músicas muito altas em suas casas, carros, lojas, bares etc., sem levar em consideração o sossego dos outros, ou o direito que os outros têm a ter sossego. E ai de quem reclamar. Ser xingado é a coisa mais leve que acontece.
Precisamos, todos nós, sair da toca e nos posicionarmos contra esse retorno violento com atos que realmente melhorem a vida. A resposta para a violência não pode ser mais violência.

Não vencemos a violência usando a teoria do olho por olho

Para os que disserem que estou de mimimi, e que há coisas muito mais graves que isso acontecendo, só vou dizer: EU SEI. Há coisas horríveis acontecendo e que precisam acabar, mas essas coisas grandes e feias, começam com pequenos atos. No momento em que você não respeitou seu vizinho, você começou isso.
Então, vamos começar a mudança. Conheça seus vizinhos e respeite os direitos deles. Se eles fazem essas coisas que descrevi, tente chamá-los à razão e mostre que respeito mútuo é algo positivo.