Você sabe escolher frutas? (parte 2)

Você sabe escolher frutas? (parte 2)

Aprenda a escolher maracujás, cocos e abacates

Retomando o tema de escolha de frutas, darei dicas de três outras frutas que também causam controvérsias na hora da compra: maracujás, cocos e abacates.
O maracujá é considerado (na maior parte do mundo) um fruto exótico.
Mas para nós é bem comum, já que ele é nativo dos trópicos.
Temos inclusive uma versão doce, mais rara, mas a mais comum é a azeda.

Grande aliado na hora de acalmar, e ajudar no processo do sono, o maracujá serve de ingrediente para sucos, doces, sorvetes e muitos pratos salgados também.

Para escolher bem, verifique, em primeiro lugar, a pele, dando preferência aos maracujás um pouco enrugados.

Maracujás que apresentam muitas rugas já passaram do ponto.

Pegue o maracujá e chacoalhe.

Se você sentir uma grande quantidade de líquido, será um bom maracujá.

Prefira os mais pesados, pois além de estarem mais maduros têm mais polpa.

E se tudo isso não bastar, sinta o cheiro.

Um maracujá no ponto tem um perfume mais forte. Caso não tenha cheiro, não está maduro.

Um fruto que não dá para escolher pela casca (ou será que dá?) é o coco.

A versatilidade desse fruto é incrível e tudo pode ser aproveitado.
A água de coco serve para a culinária e tem mais sais minerais que os isotônicos vendidos nas academias.
A polpa serve para receitas doces e salgadas.
Já a casca tem sido utilizada na indústria para criar produtos como vasos, peças decorativas, roupas, adubo orgânico etc.
Na jardinagem, substitui o xaxim que está em processo de extinção.

Na hora de escolher o seu coco, teste o peso e capacidade.

Para garantir que o coco está bem fresco, pese.

Quanto mais pesado, mais água ele contém.

Depois, agite-o perto de seu ouvido.

Você deve ouvir a água de dentro batendo nas paredes.

Isso irá garantir o frescor e a suculência do fruto.

Mas também encontramos à venda os cocos secos.

Aqueles com a casca já marrom e que têm na sua base uns pontos escuros que lembram os “olhos”.

Eles devem estar intactos e a casca não deve apresentar rachaduras.

O abacate, é nossa terceira fruta do dia e uma das minhas favoritas.

Há variedades diferentes dessa fruta, que são reconhecidas por diferenças de casca e de polpa.

Mas, no geral, suas propriedades são semelhantes.
Entretanto, se não soubermos comprar podemos ter surpresas desagradáveis ​​ao abri-lo.
Para evitar comprar um abacate que não poderá ser consumido, verifique sua aparência.
A cor e textura do abacate têm que ser homogêneas.
Se um abacate não apresenta uma harmonia, provavelmente não é um bom sinal.
Pode estar: machucado, maduro demais, verde demais ou ter sido colhido antes do que deveria.

Pressione suavemente com um dedo para garantir que é uniformemente maduro.

Se o dedo afundar, mas não tão facilmente, o abacate está pronto para consumo.
Você pode até comprar abacates mais firmes se na sua região há um clima mais quente.
Eles amadurecem rapidamente quando colhidos no tempo certo.
E, ao abrir, verifique a cor abaixo do pedúnculo.
Se a polpa tiver uma cor amarelado-esverdeada e ainda soltar leite esbranquiçado, significa que ainda não está maduro.
Pra quem acha que abacate engorda, saiba que ele traz benefícios para quem está de dieta.
 A fruta tem fibras que aceleram o processo digestivo.
Abacate evita fadiga muscular a quem pratica esportes; controla o colesterol; tem antioxidantes e é rico em ômega 3.

Agora que aprendeu, vá para a feira e encha a sacola. Mas sem desperdício!

, ,