Voltando a falar da dura vida

Voltando a falar da dura vida

Que a linha do trem nos leve além

Estive alguns (muitos) dias fora do meu posto de blogueira, um pouco por conta do trabalho e agora pela falta de trabalho que me deixou bem para baixo. Veja bem, não era o “emprego dos sonhos”, nem o degrau para subir a algo melhor. Era apenas um trabalho, como qualquer outro, que exigia muito e dava um retorno de quinta categoria.

Mas, conheci gente boa e gente má ali. Aprendi mais do que ensinei, e entre as coisas que aprendi (ou reaprendi), é nunca levar a sério um emprego onde seus superiores não se preocupam com a saúde dos seus funcionários, e onde você tem que levar seu próprio papel higiênico se quiser usar o banheiro.

Vamos esclarecer que eu estava em um serviço público e não, eu não era concursada, mas também não fui indicada por um pistolão. Apenas meu currículo me colocou no lugar de onde fui tirada por motivos que nem vale a pena tentar explicar. A política brasileira é tão grotesca que nem merece explicação, mas digamos que algumas pessoas muito medíocres resolvem que têm que mostrar poder, e aí elas resolvem fazer isso cortando todas as pessoas que não são “amigos”. É isso.

O fato é que isso me chateou e eu realmente fiquei para baixo. Porque não basta ser profissional, ou ter um currículo exemplar, e tirar coelhos da cartola em um lugar onde tem que ter criatividade o tempo todo, já que dinheiro que é bom, não existe.

O saldo de alguns meses foi criar campanhas em prol dos animais; das pessoas que vivem nas ruas; da limpeza e zeladoria da cidade; responder aos muitos questionamentos de imprensa; e escrever… escrever muito mesmo, sobre tudo.

Mas estou de volta à busca, porque dinheiro não cai do céu. E vamos em frente!