A tia mais engraçada e suas plantas de terraço

Já faz um tempo que quero escrever sobre minha tia Marina. Talvez desde aquela postagem do Natal, em que falei da casa no bairro do Tatuapé. Aquela na esquina da Celso Garcia com a Rua Reynaldo Cajado. Mas, como meu primo Pedro, supremo guardião da receita da Friccazza da dona Marina não abre mão desse segredo de estado, vou falar de outras coisas.
Para começar, minha tia era uma dessas pessoas generosas com tudo e todos. Sempre querendo agradar quem visitava a casa. E era uma pessoa engraçada, dessas de tirar sarro com todo mundo, literalmente! Assim como minha avó, ela fumava pelas tripas do Judas.  Bem, era uma época em que muitos faziam isso.
Uma das coisas que me lembro de rir muito, foi um dia em que uns primos resolveram fumar “escondidos” no único banheiro da casa do Tatuapé. Até que minha tia, muito zoeira, bateu à porta do banheiro e soltou a pérola: “que vocês se juntem no único banheiro da casa para fumar em bandos, eu não ligo! Mas roubar a única caixa de fósforos da casa… Não admito”.
Mas a coisa que mais me faz lembrar minha tia Marina são as plantas. Não me lembro de não ver sempre algum vaso plantado por ela no terraço da casa. Ela plantava de tudo. Flores, hortaliças, ervas. E talvez seja dela um pouco essa mania que tenho de ter vasos e jardineiras em minhas janelas e área de serviço. É uma necessidade de verde que consome.
Assim como ela, eu trato minhas plantas com o que tiver à mão. Faço mini-composteiras com cascas de frutas e legumes, restos de verduras e cascas de ovos. Coloco borra de café para dar uma adubada no solo. E não me importo com o vaso que vou usar. Vale tudo quando queremos ter umas ervas frescas e algumas flores na janela.
As fotos desse artigo são, em sua maioria, das minhas plantas. A foto mais antiga é no terraço da minha tia, e aquelas crianças já não são mais crianças há um bom tempo e também não encontrei uma foto da minha tia. Mas não importa. Vejam as plantas dela. Debaixo de todo aquele amarelado da foto tem muitas coisas verdes, que deveríamos ter em todas as partes das nossas cidades cinza. Além disso, plantar em família é tão bom, que mesmo depois de muitos anos, ainda lembro disso e continuo.
Eu aqui na terra e minha tia em outro plano aprovamos e damos o maior apoio! E juro tentar conseguir a receita da Friccazza…

 

5 thoughts on “A tia mais engraçada e suas plantas de terraço

  1. Ola. Meu nome é Mario Silvio de Araujo castilho,sou filho do Cláudio paladino castilho, apesar de não ter conhecido a dona Marina, e essa ser a primeira vez que vejo uma foto dela conheço muitas histórias dela pois meu pai falava dela para mim, fiquei muito emocionado com sua postagem e é estranho como um reforço visual pode muda muita coisas. Não ter tido o prazer de ter conhecido aparte da família do meu pai sempre me deixou triste. Mas me senti muito feliz com o que voce postou, vou deixa aqui minhas redes sociais, se poder entra e contato agradeço. desde já deixo meus muito obrigado
    Facebook: https://m.facebook.com/mario.castilho.562?ref=bookmarks

  2. Muito legal esse post e principalmente essa foto, eu e meu irmão praticamente não tivemos contato a Vó Marina ( somos filhos do Cláudio) . Não lembro dela e não tenho recordações, mas crescemos ouvindo histórias que o meu pai contava, não só dela, mas de toda a família e o quanto ele aprontava com seus irmãos e primos na casa do Tatuapé, aonde eu e meu irmão tivemos a oportunidade de também morar em um breve período da nossa infância. Estou emocionada em ver uma foto da minha vó e saber um pouco como ela era. Gratidão Imensa

    1. Oi Angélica, parece que isso faz de mim sua tia. Bom saber e poder compartilhar com você e seu irmão um pouco sobre minha tia Marina. Não sei como vocês chegaram à minha página, mas fico feliz quando faço alguma conexão.

Deixe seu Comentário Respeitoso

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *