As comidas que vão entrar no seu cardápio este ano

As comidas que vão entrar no seu cardápio este ano

Conheça as tendências alimentares do ano

Primeiramente, vamos explicar o que é tendência.
E não confunda com modismo, porque não é a mesma coisa.
Então: modismo é consumir aquele produto novo que está em todas as mídias.
Já uma tendência é um indicador de que as pessoas estão mudando alguns de seus hábitos.
É algo como assistir algo no streaming ao invés da TV ou ler notícias online.
No caso dos alimentos, a maior parte das tendências vem da busca por uma vida mais saudável e com menos desperdício.
Temos também a proteção aos animais (vegetarianos e veganos se multiplicam).
Há ainda a descoberta de novos sabores e aromas.
Então, falarei de algumas dessas tendências, que já estão em muitas partes do mundo.

Receitas de petiscos de boteco
Aprenda a fazer as receitas que vão bombar no seu bar!

Isso também está no Brasil do arroz com feijão, uma das misturas mais saudáveis do mundo.

Então, começo falando sobre as flores comestíveis.
Elas aparecem com força como ingrediente de pratos refinados e bebidas.
As flores vão tornar nossas refeições mais bonitas e agradáveis ao olhar.
Mas também elas darão sabores diferentes e frescor ao que ingerimos, sem falar nas propriedades específicas de cada uma.
(veja o artigo deste blog).

Outra coisa que tem entrado pelos paladares nacionais são as especiarias.

Para quem não sabe, a busca por essas especiarias foi o que levou às viagens do descobrimento.
O ocidente, com todos os programas culinários da TV, voltou a conhecer e usar a canela, o cravo, o açafrão.
Também aprendemos que há outros “temperos mágicos” a descobrir e que dão toques especiais ao sabor de alimentos e bebidas.
Eles também trazem benefícios à saúde.
A canela por exemplo, ajuda a acelerar o metabolismo.

O norte do continente africano e o Oriente Médio nunca estiveram tão na moda.

Aqui no Brasil já temos difundida uma gama culinária dessas regiões, trazida com os escravos e com os imigrantes.

Mas quem se aventurar saberá que essas culinárias vão muito além do dendê e do quibe.

E vejam bem: cuscuz marroquino não é o mesmo que o nosso.
Graças às influências asiáticas vindas dos povos que se instalaram por aqui, os cogumelos também estão em alta.
Shitake, shimeji, Paris, Portobello e outros estão entrando nos pratos que adoramos comer.
Prefira comprar cogumelos frescos, evitando as salmouras das conservas.

Além de deliciosos, os cogumelos são amigos do sistema imunológico.

Outra coisa que está entrando nas exigências cotidianas, é a descrição dos produtos na embalagem.
E isso vai além de data de validade.
As pessoas estão mais preocupadas com a procedência dos produtos e quem fabrica.
Também estão dando preferência aos pequenos comércios e produtores.

Vegetarianos e veganos existem e estão aumentando em número.

Hoje já vemos nas prateleiras de muitos mercados hambúrgueres e outros pratos à base de vegetais.
Também vemos produtos lácteos feitos com soja, nozes e frutas.

As indústrias já descobriram que este é um mercado crescente e não vão perder a ocasião

Combater o desperdício também entrou na pauta de milhões de pessoas.
Lemas como “compre apenas o necessário”; “não acumule”; “não jogue comida fora” estão cada vez mais em alta.
Ou seja, não compre mais comida do que precisa.
Num mundo com tantas pessoas famintas isso não é opção.
Use seus alimentos ao máximo, e aprenda a dar aquela renovada nas sobras da geladeira.

(Veja artigos sobre o Dia Mundial da Alimentação nas postagens do mês de outubro deste Blog)

Finalmente, falemos em bolhas.
Não as bolhas de refrigerantes, mas aquelas que conseguimos misturando frutas de verdade (pode ser em pedaços) com água gaseificada.
Chás especiais, café e bebidas gaseificadas à base de plantas que virão com bolhas.
Nada mais refrescante que a polpa do maracujá misturada na água com gás.

Depois dessa, diga quais as coisas que deseja experimentar este ano.