Eu quero um mundo melhor para mim!

Esse artigo será uma colcha de tudo o que eu quero falar, mas que vou apenas pincelar. Para começar, quero explicar a frase acima dizendo que nasci em um tempo em que se falava num futuro melhor para nossos filhos. O tempo passou e não temos nada disso.

Lembrei de um professor, muito saudoso, que dizia: “quero um mundo melhor para mim. Meus filhos terão um melhor ainda por consequência”. A questão é que o tempo passou, e nada aconteceu. Não estamos melhores. Ainda há miséria, que é a mesma em qualquer canto, como diriam os Titãs.

A tecnologia avançou em muitos pontos. Os dados navegam à velocidade da luz, mas o conhecimento não chega aonde precisa. Qual a finalidade de termos TVs digitais se também  temos milhões de desempregados e milhões de famintos andando pelas ruas? Onde está o mundo prometido, em que aqueles que produzem têm direitos?

Como alguém pode pensar que um smartphone que custa três mil reais está certo, mas um aluguel que custa 800 é caro? Isso não é inversão de valores, é burrice mesmo!

Vejo pessoas de bem tirarem projetos do chapéu para acudir à multidão de perdidos. Hortas comunitárias ou caseiras nascendo como solução ao veneno que os poderes públicos impõem sobre nossas mesas; programas educacionais que visam tirar crianças e adolescentes das garras da criminalidade; professores tentando desesperadamente ensinar aos seus alunos que conhecimento é uma conquista e não algo que se pode desprezar.

Hoje, por motivos vários, eu estava tensa com os meus equipamentos de trabalho e, a certo momento alguém me perguntou se eu odiava tecnologia. Eu apenas respondi que não, mas que a tecnologia parecia me odiar. Agora, mais tranquila, respondo ainda mais, que a tecnologia é útil quando ela serve à vida e aos seres vivos.

O quer eu quero dizer é que estamos em um mundo de “coisificação”, onde seres vivos são tratados como objetos e objetos tratados como seres vivos. E isso sim é uma inversão de valores. A tecnologia existe para nos servir e não o contrário.

O tempo passou, o mundo se modernizou tecnologicamente, mas ainda há famintos e desesperados. Doentes abandonados. Crianças tratadas como lixo. E tudo o que vejo são pessoas que esperaram (em vão!) por justiça e por um mundo melhor, que não veio para elas, ou para os filhos delas, e nem para os netos delas.

Precisamos muito acordar para a vida e parar com a ideia de que tudo é eterno. Nós não somos. O mundo não é e a tecnologia, com certeza (!) não é. Vamos levantar e andar porque eu quero um mundo melhor para mim!!

2 thoughts on “Eu quero um mundo melhor para mim!

  1. A tecnologia está mudando a economia. Gerando milhões de desempregados, ou melhor, gente sem serventia para o sistema. Acho que um caminho é fazermos a nossa própria economia, com solidariedade, sem desperdício e menos fetiche. Preferir comprar do amigo que produz alguma coisa, trocar. E produzir tb.

Deixe seu Comentário Respeitoso

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *