Eu vou morrer de raiva

Eu vou morrer de raiva

Estamos em uma crise de saúde mundial! Não é apenas o meu país que está passando por esse problema, mesmo que eu veja aqui coisas que não deveriam acontecer. Às vezes acredito que as pessoas estão tomando drogas de tanta bobagem que vejo, leio, assisto.

E não estou falando das redes sociais não!!!

Moro em uma cidade que pulou de exemplo de isolamento para casa da mãe Joana. Pancadões se espalhando, festas acontecendo dentro de comércios que nem são destinados a isso; e alguns evangélicos que chamo de irresponsáveis, fazendo reuniões em seus templos e passando pelas ruas com carros de som conclamando seus fiéis a se reunirem, porque eles estarão salvos.

E isso tudo em nome de que? Em nome de provar que eles estão certos e o resto do mundo inteiro está errado. É a mesma ideia que vejo nos organizadores dos pancadões. Eles têm que provar que têm razão. Guardadas as proporções é também isso que vejo individualmente em muitas pessoas. O ego delas é tão grande que elas creem mesmo serem as donas da solução do problema mundial.

Uma dessas pessoas teve seu ponto de vista modificado esta semana, quando uma pessoa, dona de um comércio local aqui de Piraporinha morreu de Covid-19. A pessoa, que ficava indignada pelas medidas restritivas de seu próprio comércio se sentiu ultrajada porque fazia compras na loja do falecido e acreditava que deveria ter sido avisada. Que tolice. É como se a morte em pessoa tivesse que avisar a chegada.

O que a maioria das pessoas não enxerga é que não tem aviso. Eu posso estar contaminada agora mesmo e não saber. Não porque estou ‘sassaricando’ na rua, mas ainda preciso sair para coisas básicas como comprar comida, ir à farmácia ou pagar uma conta. Tento fazer na hora em que o resto do universo se recolheu, mas, no caso dos bancos, não temos mais os caixas 24 horas para fazer o necessário. Mas isso é assunto para outra hora.

O que eu quero alertar é que tem muita gente fazendo o que não deve. Se isso me dá raiva? Com certeza!!!! Não porque eu gostaria de estar nas ruas, levando minha vida normalmente (é claro que eu gostaria!), mas porque quanto mais tem gente rancorosa e burra fazendo tudo errado, mais demora para a gente sair dessa.

Sabe o que me dá mais raiva? É a falta de entendimento dessas pessoas sobre o básico! Não vou ficar enchendo o saco com números e curvas de gráficos, porque essas pessoas não sabem nem que dois e dois são quatro. Mas a maioria não entende que quanto menos pessoas infectadas (o que se consegue com isolamento), menos pessoas ocupando leitos de hospitais e menos mortes.

Outra coisa que não entendem é que não são os idosos o foco do vírus. Eles são apenas os mais vulneráveis. Garanto que o Corona vírus não vai perguntar sua data de nascimento ao lhe infectar ou infectar seus pais, filhos, primos, tios… Não adianta isolar os idosos se vocês continuarem trazendo a sujeira de fora para dentro de casa.

E garanto que não adianta nada tentar se isolar se seus vizinhos não colaboram. Porque ficar atormentando a vizinhança só vai fazer a pessoa ficar mais estressada do que o necessário. Perturbar a paz nunca foi política social de boa vizinhança.

Temos mortos e doentes no meu bairro, gostaria que ao menos isso respeitassem. Mas parece que o ego é maior e o desrespeito só faz essas pessoas sapatearem sobre o túmulo desses mortos. Não importa se é um só, porque faz falta para alguém.

Aos pastores irresponsáveis, digo: muitos têm fé. A sua não é única nem mais importante. Deus é maior que vocês e sabe que você está rezando, esteja onde estiver. Reze para que isso passe logo. Respeite a vida dos seus fiéis e também daqueles que não são. Vocês não têm o direito de decidir quem vive ou morre.

E, acredite (!) o vírus não é uma coisa que veio atrapalhar só a sua vida. Está matando gente no mundo todo. Sejamos responsáveis!

 

, ,

Uma resposta para “Eu vou morrer de raiva”

  1. Olá minha amiga querida.
    De fato é um momento surreal que estamos vivendo. Parte da humanidade veio ao mundo à passeio e em passeio está. Não conseguem ver o que enxergam por acharem que isso nem existe. Tenha pena desse povo.
    Ótima reflexão. Abraço