Não maltratem a pobre cebola!

Não maltratem a pobre cebola!

Você pode não gostar, mas ela gosta de você!

Hoje cedo acordei com uma mensagem no celular, enviada de madrugada, como aquelas coisas de emergência, falando sobre o quanto é perigoso comer cebola.
Na verdade só consegui dar risada, porque a amiga que me enviou ODEIA cebola.
Como eu adoro, apenas disse pra ela não difamar a coitadinha.
Afinal, se a gente for falar mal de tudo que não gosta, eu ia dizer que quiabo é coisa do demo; que jiló causa febre hemorrágica; e que bucho não serve nem pra jogar no lixo.
Mas tudo isso não seria verdade.
Seria apenas o meu gosto encontrando uma desculpa para eu ser assim.
Assim como o relato de um médico (?), nos idos de 1919, descobrir que cebola deteriorada tem bactérias é muito tolo.
Tanto quanto alguém que faz um vídeo de peixe deteriorado cheio de vermes.
Alguém acredita que um ser orgânico, depois de alguns dias de morto, não vai criar vermes? Por favor!

Mas vamos deixar os hoaxes (boatos) de lado e falar sério sobre a cebola!

E vamos acreditar que a tecnologia de refrigeração melhorou pra caramba desde 1919.
Cebola é o nome popular da planta Allium cepa.
Ela é um bulbo constituído por folhas em camadas.  
Em algumas culturas ela tem importância simbólica e também medicinal.
Os egípcios se protegiam de certas doenças com hastes de cebola.
Virtudes afrodisíacas lhe são igualmente atribuídas, tanto por sua composição química quanto por suas sugestões imaginativas.
Quanto ao valor nutricional desse bulbo, cada 100 gramas contêm:
33 calorias; 1,5 g de proteínas; vitaminas A, B1, B2, B3, C, potássio, fósforo, cálcio, silício, magnésio ferro e sódio.
Todos esses nutrientes em grandes quantidades para ajudar nosso organismo a funcionar melhor e auxiliar o sistema imunológico.

As cebolas e seus nutrientes apresentam efeitos potenciais como antioxidantes, anti-inflamatório e protetor cardíaco.

Também é analgésica, antialérgica, anticancerígena e antidiabética.
Essas propriedades retardam o envelhecimento e reduzem riscos cardiovasculares e isquêmicos.
Cebolas também diminuem a formação de tromboses coronária e intravasculares.
Não fosse o bastante, a cebola possui ação anti-inflamatória e  reduzem as chances de formação de células tumorais.
Além disso elas melhoram  o trato gastrointestinal, prevenindo disenterias e acidoses, tratando úlceras.
A cebola tem se mostrado eficaz em tratamento de doenças viróticas, como a gripe (influenza), por exemplo.
Pacientes de diabetes também deveriam consumir mais cebolas.
Ela contém quercetina, que inibe a formação de catarata, que é uma complicação comum em diabéticos.
Após todas essas informações, espero sinceramente que as pessoas que não gostam de algum alimento parem de falar bobagens.
Digam apenas “não obrigado!” quando esse alimento se apresentar, e não inventem desculpas para não gostar de algo.
Pensem que todo alimento é, em si, algo que pode ajudar a cura de uma doença, ou o veneno que mata.
Mas antes de decidir, pesquisem bastante. Poderá ter surpresas!

E eu odeio quiabo, mas não vou falar mal dele!

 

, ,