Precisamos voltar a plantar!

Precisamos voltar a plantar!

Tem gente que até duvida, mas não há como negar que precisamos consumir vegetais para manter a saúde.

Antes de tudo, encontramos nossos vegetais em feiras livres, mercados e nas hortas comunitárias.

Mas hoje vou usar uma planta como exemplo de empobrecimento da nossa dieta: a mostarda.

Então, para quem não sabe, a mostarda é uma planta.

O tempero “mostarda”, que colocamos no cachorro-quente vem dessa planta.

Mas a mostarda não serve só para isso.

Quando criança eu comia refogada no alho, do jeitinho que minha mãe fazia.

Então, esse foi o ponto de partida para falar sobre isso.

Mostarda era uma verdura comum nas feiras livres de antigamente.

Hoje em dia, entretanto, não achamos mais.

A mostarda perdeu o “valor comercial” como verdura.

Então não se cultiva mais mostarda para vender na feira, apenas para indústrias.

E chegamos ao motivo número dois para este artigo.

De acordo com especialistas da Embrapa, mais de 10 mil espécies de plantas comestíveis deixaram de ser produzidas em larga escala e comercializadas.

Isso e uma inflação galopante que ninguém confessa empobreceram a dieta brasileira.

Olha pessoal, não estou dizendo que alface, agrião e couve são os vilões.

Porém essas culturas dominam as hortas e feiras.

Então várias verduras e legumes, que ajudariam na rotação das lavouras, sumiram.

Querem mais exemplos?

Faz um tempão que não vejo chicória aqui no meu pedaço.

Sou do sudeste, mas sei de casos de desaparecimento de frutas, legumes e verduras em todas as regiões do Brasil.

Trocaram produtos nativos por frutas e verduras importados.

Assim sendo, trocamos alimentos por versões mais caras e menos saudáveis.

Quando eu era criança usávamos óleo de algodão.

O óleo de amendoim era proibido em casa, pois minha irmã era alérgica.

Foi lá pelos anos 1970 que a soja invadiu a lavoura e deixou esse óleo mais comum.

Hoje temos versões caríssimas de canola, milho, girassol, e alguns ensaiam a volta do algodão.

Mas a soja invadiu e muitas culturas nativas foram perdidas. Sem falar na invasão sem freio de florestas nativas.

O que quero dizer com tudo isso?

Que a perda da diversidade, em todos os sentidos, não é sinal de melhora e desenvolvimento, mas sim de perda de qualidade alimentícia.

Nem vou falar do preço dos alimentos em uma inflação descontrolada.

Perdemos também muito território cultivado e espécies que poderiam melhorar a cadeia alimentar e tirar pessoas da fome.

Precisamos voltar a plantar e voltar a ter um sistema mais equilibrado.

Um sistema no qual as espécies se complementam e não um em que todos cultivam as mesmas coisas.

Sei que alguns que me leem devem estar se perguntando: “que diabos! É só uma verdura!”

Não é só uma verdura.

A perda de 10 mil espécies não podem ser ignoradas.

Hoje ignoramos uma planta (parem de achar que tudo é mato) e suprimimos;

O emprego de uma pessoa que não existe mais e milhões de desempregados são suprimidos;

Uma linha de transporte coletivo; um medicamento…

E começamos a destruir uns aos outros. Creio que já começamos.

No momento em que transformamos os famintos em invisíveis, destruímos.

Na hora em que não ligamos para milhares de mortes, somos cúmplices de um crime.

Dizem que a natureza se encarrega dos que são mais fracos, mas nós não somos a natureza e os mais fracos somos todos nós.

Vamos então voltar a plantar e cuidar? Vamos trazer a mostarda de volta?

Para quem não conhece a mostarda

A mostarda é uma planta de folhagem grande, rústica, de sabor meio amargoso.

Ela fica deliciosa em refogados, saladas e sopas.

Algumas espécies chamadas mostarda não devem ser ingeridas após a frutificação, pois se tornam tóxicas.

O nome mostarda é dado a plantas de dois gêneros diferentes da família Brassicaceae – Sinapis e Brassica.

Suas sementes são usadas como especiaria e as folhas, cozidas ou cruas, como alimento.

As folhas de mostarda são ricas em fibras.

Têm alto valor nutritivo e são ricas em proteínas e em minerais (Ca, Fe, P) e vitaminas (A e B1, B2 e B5).

Esta é uma verdura com muito poucas calorias e recomendada para as dietas de redução de peso.

As sementes das diversas mostardas são usadas como especiaria, em molhos que usamos para nossos cachorros-quentes!

As sementes também servem para a extração de óleo de mostarda, que tem aplicações específicas na culinária asiática.

, ,

5 respostas para “Precisamos voltar a plantar!”

  1. Muito bem Rita
    Você começou o ano com um assunto gastronômico.
    Algo de um valor sem igual. Precisamos ensinar esse povo a usufruir dos espaços que tem, independente do tamanho. Até mesmo quem mora num apartamento poderia ter sua horta suspensa. Parabéns pelo texto.
    Abraço