Testei positivo

Antes de começar, preciso dizer que essa é minha maneira de falar para todos os que conheço e amo que eu testei positivo para o Covid, e tentar dizer a eles como me sinto sem que ninguém se desespere.

É difícil. Eu mesma estou lutando contra muitos sentimentos. Não sinto a maioria dos sintomas, e isso pode ser bom. Mas também não sinto cheiro de nada, o que é bem ruim e foi o que me levou a fazer o teste. Queimei a comida, de virar carvão, mas não senti o cheiro. Mas não tenho febre ou dor, o que poderia fazer o vírus passar em branco.

Mas quero usar isso para dizer para as pessoas que, mesmo tomando todas as precauções; saindo de casa apenas quando imprescindível; limpando todas as coisas e lavando; usando o maldito do álcool o tempo todo e a máscara, um mínimo descuido pode ter me infectado.

Desde o início tenho implorado na prefeitura da minha cidade, Diadema, por uma fiscalização mais rigorosa, que não aconteceu. Denunciei vizinhos que usaram seus comércios para fazer festas cheias de gente, arruaças constantes; bares funcionando como se nada estivesse acontecendo. E nem o essencial foi feito. Tenho uma coleção de protocolos de atendimento telefônico e online da GCM e da Polícia Militar não atendidos, e ainda questionam nas reuniões do Conseg (Conselho de Segurança) sobre o porque das pessoas não denunciarem mais. A resposta é só uma: NÃO SOMOS ATENDIDOS NEM QUANDO ESTAMOS EM SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA!

Porém, mesmo com tudo isso, eu peguei. E não me sinto tão mal. Mas também não me sinto bem. Tenho umas fraquezas, como naquelas gripes chatinhas, que a gente sente o nariz entupido o tempo todo e a boca seca. E dá uma sede anormal!! Usar a máscara o tempo todo não ajuda muito porque ela nos faz sentir mais frágeis ainda. E as milhares de recomendações dos amigos nos faz sentir inúteis. Principalmente quando estamos cansados da dependência que outras situações já causaram.

Não me levem a mal. Amo minha família e meus amigos, e sei de verdade que a maioria deles quer o meu bem, e que muitos irão se desesperar (o que eu não quero!) e alguns vão ficar pensando que tudo isso é um mimimi (o que não é!). Essa é uma situação na qual estou seguindo as recomendações dos médicos e tentando ficar calma, mesmo que o ambiente onde vivo não seja o mais tranquilo.

Estou em quarentena verdadeira agora e só saio dela diz 3 de agosto, quando termina o “período de incubação”. Não sei o que isso significa. Não sou médica. Só tenho um monte de coisas que eles mandaram fazer tipo lavar, limpar resguardar etc. Isso eu já faço e eu peguei! Me considero sortuda porque aparentemente meus pulmões não foram comprometidos, mas isso não significa que eu esteja livre. Aliás nunca na minha vida compreendi tanto o sentimento de claustrofobia.

Só peço a todos que, depois de postar isso, não me liguem pra saber se estou bem. Porque estou, mas por favor se cuidem muito mais. Não posso falar por todo mundo, já que tem gente pensando que essa doença não é tão séria, mas o meu maior desespero foi de pensar que posso ter passado o vírus para duas pessoas que não mediram esforços para me ajudar quando eu passei mal e ainda não sabia (Barbara e Hélio, amo vocês!).

Esse foi o texto mais duro que escrevi na vida, mas precisava compartilhar com vocês esses sentimentos todos de impotência diante de tanta ignorância. De tristeza, porque muitos estão morrendo e tem gente que parece não ligar. Eu estou bem fisicamente, perto de milhares que não estão; que estão lutando apenas para respirar. Estou rezando aqui, por muitos que nem conseguem mais acreditar.

Se essas pessoas melhorarem, ou mesmo quando essas pessoas melhorarem, vamos rezar para a cura não ser pior que a doença. Que eles e suas famílias vivam em um mundo melhor, e não em um onde há pessoas totalmente inconscientes e sem nenhuma empatia pelo bem da coletividade. E que esse sentimento de coletividade vai muito além de reabrir todos os comércios e encher os botecos de gente. Vai além de Carnaval e Ano Novo. Vai além de comprar, mesmo sem poder ou precisar. Vai além de mandar as crianças de volta para a escola só para dizer que “respondemos à sociedade”.

Não há cura se não for para todos. Precisamos salvar todos os que forem possíveis. Precisamos de paz, trabalho e saúde para todos. Mais que tudo, precisamos de respeito!

11 thoughts on “Testei positivo

  1. Força, vai passar…e não sentir cheiro ou paladar, é uma benção diante dos graves quadros que se pode apresentar. Os a njos te guiem, zelem por você..
    Bjs

  2. Rita, obrigado por compartilhar seus pensamentos e reflexões, tão bom saber que algumas pessoas estão pensando e refletindo neste Brasil, de outra forma tão turbulento, neste momento. Uma das muitas turbulências para dizer o mínimo…..
    Certamente sinto e compartilho sua dor e seu medo, um que muitos de nós vivemos neste momento, pelo menos aqueles que acreditam que isso é algo que se aplica a toda a população e não apenas aqueles que sentiram isso pela dor de perder um ente querido ou foi infectado e sobreviveu…
    Esta é a maior oportunidade que temos para mudar nossa realidade, mas infelizmente apenas uma pequena porcentagem da população fará algo nessa direção….
    Mantenha-se forte e mantenha a cabeça erguida, porque esta certamente você passará, meu amigo! ~ Grande abraço, Gregory

  3. Uma coisa que chateia muito é que irresponsáveis ficam nas ruas sem necessidade muitas vezes não pegam ou pior, pegam e são assintomáticos e ficam passando pra outras pessoas. E vc que toma todos os cuidados teve o azar de pegar. Mas é isso, sua atitude só poderia ser essa, pois é seu caráter. Desejo rápida e total recuperação. abraço

  4. Ah, D. Rita Paladino… O vírus não é seletivo, como gostaríamos, para ‘pesar’ só para este bando de irresponsáveis e negacionistas.
    Mas, vai passar e daqui a pouco vc já vai estar saltitante… Quer dizer, saltitante não, pq este Brasil está muito tenso para saltitar. Mas, você vai ficar bem, sim

  5. Rita amiga, força! Sei que não deve estar sendo nada fácil, mas também sei que vai superar essa fase e logo estará firme e forte de novo! Concordo com você sobre a irresponsabilidade de alguns que não se importam com o próximo, quando na verdade essa pandemia deveria fazer as pessoas pensarem o contrário, é muito triste tudo isso.
    Estarei aqui sempre que você precisar. Um forte abraço! Beijos.

  6. Continue fazendo o que já faz. Sei que nem devia falar isso, mas não posso omitir o que penso. Faça a sua parte. Não sofra pelas atitudes alheias. Cada um vê a vida de pontos diferentes. Tem reações diferentes é assumem riscos diferentes. Mas a vida é deles. Por isso peço. Cuide de você e deixem que os outros cuidem deles, mesmo que suas ações interfiram diretamente na vida de outrem. No final, cada um vai ter que prestar conta pelo que fez, não pelo quê queria que o outro fizesse. Fique com Deus, estamos, tds os seus amigos, rezando e em breve esse pesadelo vá passar.

  7. Nossa, Rita!A vida te fez forte das maneiras mais inacreditáveis. Somos surpreendidos por tantos acontecimentos. Você é um ser humano fantástico, uma excelente profissional e muito caridosa, sempre com um olhar mais atento para o.próximo.Deus,Nosso Senhor, em sua infinita misericórdia vai te curar, e com certeza vai abrir as portas para que a provisão infinita se faça presente em todos os campos da sua vida.Você mais do que merece!!Rezando aqui por você. Abraço do tamanho do oceano!!!

Deixe seu Comentário Respeitoso

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *