Você está sentindo que perdeu o norte?

Você está sentindo que perdeu o norte?

Sempre precisaremos de referências

Estava no trabalho um dia desses e li uma notícia sobre a prisão de Michel Platini por corrupção. Me surpreendi com a notícia, pois sempre tomei a pessoa em questão como alguém que estava acima dessas coisas, mas a surpresa seguinte foi uma pergunta, que partiu de dois colegas de trabalho: quem?

Fiquei bege, pois as pessoas que me perguntaram são da mesma área que eu, a comunicação, e estão ligadas a informação. E entre estupefações, fiquei o fim de semana inteiro questionando a formação das pessoas, a falta de referências mais básicas.

Quem estiver achando que estou de mimimi, explico. Minha profissão é de jornalista, e sim, eu me formei em uma faculdade que me deu mecanismos para entender a prática e a ética da minha profissão. Quando estudava, tive sempre a certeza de que estaria escrevendo algumas páginas que seriam estudadas no futuro como História, assim como outros de minha profissão escreveram no passado.

Sempre tive consciência de que precisava de referências e aprendi o máximo que podia. Lia sempre o que me caía às mãos. Você não pode achar que está reinventando a roda. Desde quando saí da faculdade e comecei a trabalhar com comunicação, quase tudo mudou. Técnicas de impressão, meios de comunicação. Inventaram a rede Mundial! Redes sociais etc. Mas esse imediatismo e a aceleração deixaram de lado coisas importantes, como ética, notícia de verdade e conhecimento.

Como alguém que já passou de certa marca etária, me importo um pouco com essa certeza que vejo nos olhos de muitos, mais jovens que eu e alguns nem tanto (!), de que o mundo começou quando eles nasceram e acaba tão logo eles se vão.

Desculpe desapontar, mas isso não é verdade! Milhares de pessoas mais talentosas e inteligentes que vocês vieram antes e muitas mais virão depois. Pessoas que criaram mundos do zero. Que criaram músicas de verdade, com harmonias e acorde imortais.

Talvez eu esteja totalmente errada e tenhamos mesmo que viver o agora, mas isso só faria de nós uns tolos que não aprendem com os acertos e erros, nem os nossos, nem os dos outros. Seremos uns Hitleres repetindo os erros dos Napolões diante de uma gigante e congelante Rússia.

Aliás, é o que fazemos quando perdemos totalmente a noção de que precisamos de referências. Estamos tão arrogantes que achamos saber tudo, mas não sabemos. Não nos informamos mais. Sabemos mais das fofocas sensacionalistas do que sobre coisas que realmente nos fariam evoluir.

Querem algo sensacionalista? Veja o número de pessoas que foram jogadas na miséria nos últimos três anos. Ou o desmatamento acelerado da Amazônia que vai afetar nossas vidas. Ou os números do desemprego. Ah tá… se não envolver uma celebridade instantânea não é sensacional…

Alguns dirão que eu apanho bastante no quesito de tecnologias, e apanho, mas eu aprendo e sei que preciso aprender. Sei que as pessoas estão aceleradas, mas não tenho a certeza de que essas pessoas sabem aonde estão indo, ou se aquilo que elas acham “tão importante” é mesmo o que importa na vida. Espero que elas também parem, respirem e aprendam.

Voltando ao motivo que me fez escrever tudo isso, eu nem sou grande fã de futebol, mas pelo amor de Deus! Eu sei quem foi Michel Platini!

 

 

 


2 respostas para “Você está sentindo que perdeu o norte?”

  1. Acho que a arrogância é pior que a falta de conhecimento, pq ela impede a busca, nos fecha para o aprendizado. O jornalista deveria duvidar sempre do que acha que sabe e das informações que recebe.