Volta às aulas e a saudade da escola

Eu deveria cuidar só da minha vida e deixar tudo o mais para lá, mas não consigo. Vejo tantas coisas sendo feitas de qualquer jeito que não consigo mais ignorar. É gente falando que a terra é plana ou que viu Jesus na goiabeira e esquecendo que tudo isso só quer dizer uma coisa: tem gente precisando usar camisa de força.

O que isso tem a ver com a volta à escola? Tudo! Porque as pessoas vão à escola (pelo menos deveriam ir) para aprender e melhorar como pessoas. Para entender o mundo onde vivem. Para aprender a se expressar direito na própria língua e saber que dois mais dois são quatro.

Pergunto agora aos meus pouquíssimos leitores: para que vocês mandam seus filhos à escola? Vocês mandam porque querem que seus filhos aprendam e se tornem seres humanos melhores e mais evoluídos ou fazem isso porque é uma regra e vocês seguem sem questionar?

Parece que já estou ouvindo as vozes preconceituosas berrando que tem mãe que manda o filho para a escola por causa da merenda.

A esses preconceituosos, além do meu desprezo, a resposta: talvez essa seja a única refeição dessa criança durante o dia, e sem ela, não há cérebro que aprenda qualquer coisa.

Volto à pergunta: porque mandar os filhos à escola? Se nós não sabemos é porque nem nós aprendemos. Deve ser por esse motivo que muitos acham que as crianças vão à escola para ter educação. Errado. Eles vão ter instrução. Educação, que é como se portar em uma sociedade; respeito ao próximo; diferença entre certo e errado eles deveriam ter em casa.

Mas vamos em frente, porque não é isso que me motiva hoje. Voltaremos a esse assunto um dia desses. Assim como o ano novo, que festejamos como se fosse todo um leque de novas oportunidades, deveríamos festejar a volta às aulas como um mundo inteiro de coisas a aprender.

Sei que há uma luta, que deveria ser levada mais a sério, por melhorias nas escolas públicas, e que isso deveria começar pela valorização dos professores, e não quero dizer apenas com melhores salários e condições de trabalho. Esses seriam apenas pontos de partida. Mas ficamos todos esperando que os outros façam e não tomamos a frente de nenhuma ação.

Não vou cobrar essa liderança de ninguém. Eu mesma sou culpada de não ter tomado a frente dessa questão. E tenho consciência de que precisamos lutar por escola pública gratuita e decente para todos os sujeitos a ela. Estudantes, professores, funcionários de base.

Nossas escolas precisam de bibliotecas, para que os alunos entendam que o Google não resolve os problemas maiores de suas vidas.

Precisam ensinar música e artes, para que eles aprendam a diferenciar aquilo que realmente é arte do que é apenas um espertalhão ganhando dinheiro em cima dos que não sabem sequer diferenciar uma nota musical. Aprender artes não é criar uma escola de pintores e escultores, mas sim fazer seus filhos usarem a imaginação ao resolver os problemas da vida.

Mandem seus filhos para a escola para que eles aprendam que a vida vai muito além da tela da TV ou do smartphone. Que as pessoas de verdade estão do lado de fora das telas. E por favor, aprenda junto com seus filhos a respeitar os outros seres humanos, mesmo que eles pensem ou ajam diferente; mesmo que tenham outras crenças. O seu próximo não é seu inimigo. É apenas outra pessoa. Só se aprendermos isso estaremos evoluindo e poderemos responder à pergunta: porque mandamos nossos filhos à escola?

2 thoughts on “Volta às aulas e a saudade da escola

  1. E ontem ouvi uma barbaridade de uma pessoa querida. Não existe aquecimento global. É tão difícil gostar de alguém tão diferente de você. Na verdade é um exercício.

    1. Mesmo pessoas que concordam com você na maioria das coisas trazem um exercício diário de aceitação Silmara. Tenho um amigo ateu, e meu problema não é ele ser ateu. Meu problema é ele não ver que os erros de interpretação de texto dele são as mesmas que as dos outros. E a falta de reconhecimento de que não somos melhores do que ninguém.

Leave A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *