Saladas alimentam e podem sim ser uma refeição

Muito bem, vamos a mais umas ideias para os meus 40 dias sem carne vermelha, apesar da receita colocada no final levar pato defumado e foie gras, ou seja, aves e suas entranhas. O que pretendo na verdade é dar umas ideias para quem não vai aguentar comer peixe todos os dias, e ainda conhecer um pouco mais dos sabores do mundo e que deseja sair do tradicional. Aviso que a receita do final requer alguns ingredientes sofisticados, que só são encontrados em boas casas do ramo.

Essas receitas vêm de várias partes do planeta e são apetitosas, além de alimentarem muito bem. Algumas delas já foram publicadas no blog, bastando dar um clique nos links para ver as receitas, está bem?

Salada russa
: No Brasil é conhecida como “salada de maionese”. Trata-se de uma salada de legumes em cubos e outros alimentos associados com maionese. É chamada de “salada Olivier” na Rússia, Ucrânia, Irã e Estados Unidos. A receita já foi publicada e comentada neste blog, basta clicar AQUI

Coleslaw: O nome pode ser um pouco complicado, mas o coleslaw é simplesmente uma salada crocante, agridoce, feita com repolho cru, cenoura ralada, maionese, uma pitada de açúcar, uma de sal e o vinagre de maçã. Ideal para churrascos e pratos grelhados.

Salada Caesar: Criada pelo chef ítalo-americano Cesare Cardini, em Tijuana, no México, a, salada é composta de alface romana, frango desfiado, queijo parmesão, e croutons. O molho para temperar é feito com azeite de oliva, suco de limão, anchovas, queijo parmesão, molho inglês, sal, açúcar e pimenta preta.

Tabule: Surgiu no Líbano, é servido como aperitivo e pode ser considerado como uma salada. É feito principalmente de triguilho (trigo para quibe), tomate, cebola, salsa, hortelã e outras ervas, com suco de limão, pimenta e vários temperos.

Salpicão: No Brasil, é um tipo de salada com mistura de legumes, carne de ave desfiada e frutas frescas e secas. Já falei dela em receitas para as festas e foi um sucesso. É só clicar AQUI para ver a receita.

Salada Caprese: Tem as cores da bandeira italiana. Leva tomate, muçarela e manjericão, e é temperada com sal, pimenta do reino e azeite.

Salada Grega: Salada colorida composta por tomates, pepino, cebola, azeitonas pretas e um ingrediente bem especial, o queijo feta (queijo coalhado típico da Grécia, feito tradicionalmente com leite de cabra e de ovelha).

Salada Sunomono:
Servida nos restaurantes japoneses, leva pepino japonês, vinagre de arroz, açúcar e sésamo (gergelim).

 

 

 

 

Salada Landaise: essa salada vem de uma região da França chamada Landes. Sua sutileza e particularidade é que neste prato, os ingredientes como moelas e o peito do pato são servidos quentes, enquanto a alface, tomate, cebola, aspargos são servidos frescos. E, como eu disse, segue uma receita meio chique, mas maravilhosa para vocês.

Ingredientes

Mistura de alface (crespa, crespa roxa, americana, mimosa)

140 g de milho

Dois tomates

Uma chalota (cebola roxa)

40 g de pinhões

12 pontas de aspargos

90 g de peito do pato defumado em fatias

100 g moela de pato

Quatro medalhões de foie gras (patê de fígado de ganso gordo)

Preparação

Coloque as alfaces na tigela. Junte os tomates cortados em cubos e acrescente também o milho.

Junte a chalota/cebola roxa picada, as pontas de aspargos e os pinhões.

Coloque agora as fatias do peito de pato defumado (sem a gordura) e também a moela de pato confitada. Tempere a gosto. Eu usei um molho com um dente de alho, um limão espremido, azeite, sal e pimenta do reino.

Misture a salada, coloque por cima os medalhões de foie gras e sirva!

 

2 thoughts on “Saladas alimentam e podem sim ser uma refeição

Deixe seu Comentário Respeitoso

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *