As ervas aromáticas vão temperar sua vida

Cozinheiras e cozinheiros do meu Brasil! Sei que vocês concordarão comigo quando afirmo que sem tempero não há comida que se salve. É claro que temos nossas receitas e pratos prediletos, mas acreditem que não há molho que resista à falta de um manjericão, uns dentes de alho e a alguma erva aromática.

As ervas aromáticas têm a capacidade de transformar nossos pratos no manjar dos deuses. São ideais para temperar ensopados e potencializar o sabor de qualquer receita.

Pretendo aqui falar de algumas dessas ervas aromáticas como alecrim, louro, hortelã, tomilho e salsa e explicar algumas características delas. Esperamos que após esse texto vocês coloquem mais temperos frescos e secos (especiarias) na sua cozinha. Plantem jardins de ervas e evitem os temperos industrializados que podem prejudicar sua saúde.

As ervas aromáticas frescas são aquelas que têm sabores e aromas mais suaves e, em geral, são utilizadas como vegetais frescos, isto é, como folhas verdes; se forem colhidas recentemente, melhor ainda. Neste caso, podemos mencionar a salsa que usamos tão normalmente em nossas cozinhas. São ervas que, além disso, são cultivadas com relativa facilidade e que não podem ser conservadas por muito tempo, por isso é melhor colher na hora do uso.

Por outro lado, encontramos as ervas aromáticas secas, que são aquelas que foram secas por meio de diferentes processos. Estas têm outra vantagem, pois a secagem produz uma concentração desses sabores naturais e mantêm suas propriedades por mais tempo.

Manjericão

O coringa da culinária italiana, o manjericão é usado em molhos como o pesto, por exemplo. Mas essa erva tem um aroma e um sabor tão precioso que se pode usar em vários molhos. Não existe uma pizza Marguerita sem manjericão, mas ela serve ainda para temperar carnes e aves.
Essa erva pode ser encontrada seca, mas usar a forma fresca, colhida na hora é aproveitar ao máximo seus aromas e sabores.

Louro

O louro pode ser utilizado fresco ou seco, para dar sabor a caldos, molhos e peixes. Geralmente as folhas são retiradas antes de servir o prato.
É talvez uma das ervas aromáticas secas mais comuns e que você certamente teve alguma vez, ou tem em casa, já que é fundamental para pratos como a lentilha ou o feijão. Mas não é apenas como erva aromática que o louro serve (aliás todas essas que menciono). O louro serve para acalmar e tem muitas propriedades medicinais. Neste blog há um artigo mais extenso sobre essa erva que pode ser consultado aqui.

Menta/Hortelã

Podemos encontrar menta de diferentes espécies, ainda que, na verdade, a mais popular de todas seja a hortelã. O oriente Médio usa bastante essa erva em seus pratos como no quibe, ou como molho para os pratos de cordeiro. Também tem propriedades medicinais que podem ser vistas aqui. Cabe acrescentar que a dilatação da planta de menta produz um óleo que é largamente utilizado para fabricação de guloseimas, loções de barbear, cremes dentais, perfumes etc.

Salsa

Outra erva aromática fresca, a salsa é muito comum nas melhores culinárias do mundo, sendo utilizada em todo tipo de peixes. Por outro lado cabe acrescentar que ela tem muitas vitaminas, A, B1, B2, C e D, e que conta também com um uso medicinal; de fato, costuma-se utilizar a salsa por suas propriedades diuréticas.

Orégano

Do mesmo modo que o anteriormente mencionado Manjericão, o orégano é outra erva aromática muitíssimo utilizada na cozinha mediterrânea, e particularmente na cozinha italiana em todos os tipos de massas e molhos.

Em infusão, o orégano nos permite combater os ataques de tosse, mas esta erva possui diversas propriedades medicinais, como sua atividade antioxidante, antimicrobiana e, ainda em estudos bastante primários, antitumoral, antisséptica e também tonificante e digestiva.

Coentro

As sementes de coentro são menos picantes que as folhas, doces e com um leve sabor ácido como o limão. As folhas frescas são utilizadas para dar sabor a saladas, peixes e muitos pratos da culinária brasileira. Em muitos países é utilizado como a salsa, mas podemos encontrar sua presença sobretudo na cozinha mediterrânea, indiana, latino-americana, chinesa e do sudeste asiático, que se permitem sabores mais marcantes.

Os frutos desta erva aromática são utilizados secos e de fato na cozinha indiana ela é um dos ingredientes indispensáveis na elaboração do curry. É utilizada moendo-se ou triturando-se esses frutos.

Alecrim

O alecrim dá um sabor melhor quando utilizado como erva aromática seca já que, cozinhado fresco, costuma deixar um sabor bastante amargo. É uma erva aromática muito apropriada para todo tipo de carnes assadas, cordeiro e peixe.

Além disso, também tem propriedades medicinais e está, de fato, recomendado para as afecções hepáticas e digestivas. Conheça mais aqui.

Tomilho

O tomilho é uma erva similar ao alecrim; na cozinha costuma-se utilizá-lo com todo tipo de carnes ensopados, além de poder ser combinado também em pratos como o frango ao forno, por exemplo.

Também serve para aromatizar azeites e vinagres ou em temperos e molhos.

O tomilho é chamado de antibiótico dos pobres, sendo usado para tratar infecções das vias respiratórias e acalmar a tosse.

Esses são apenas alguns exemplos de ervas que podemos utilizar na cozinha e na farmácia. Há especiarias que conheceremos em outra ocasião, que são usadas há milênios pela humanidade e que foram motivo de navegações, guerras e tratados comerciais.